.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Music

Tenho paixões por diversas coisas, e creio que comento frequentemente sobre a maioria delas nesse humilde espaço, entretanto tem uma que não abro mão, mas sempre deixo de lado na hora de escrever: música. Acho que não escrevo quase nunca sobre isso porque simplesmente gosto de ligar o som e ficar ouvindo, independente da situação: enquanto escrevo, penso na vida, enquanto leio, relaxo, enquanto desestresso a mente ou estou num barzinho qualquer da vida, enquanto converso com alguém, etc...
É algo que me acompanha, que me transporta, que me deixa em alfa, mas que dificilmente eu paro para pensar sobre... Porém, todavia, contudo, comecei a refletir sobre isso há pouco. Por que diabos eu nunca escrevo sobre música, se sou apaixonado por ela? Creio que a resposta mais óbvia é pelo meu gosto eclético – que causa a incompreensão, e às vezes a indignação, de muitos. Ou seja, é um pouco daquilo que comentei no Facebook outro dia: as pessoas gostam de rotular as outras, então se eu comento alguma coisa de um gênero musical, já me taxam disso ou daquilo, ou senão, os fanáticos de tal gênero já acham “uma vergonha um doutorando gostar desse tipo de música ou não gostar de outro”...
Outro motivo é porque dificilmente corro atrás da história dos artistas, músicos, bandas, compositores, etc, como fazem os fanáticos... Simplesmente gosto do som. Até já li algumas biografias muito fodas, como a do Bob Dylan (No direction home) e a do Bob Marley (Queimando tudo), e, realmente, depois de ler a história dos caras você interpreta as suas músicas de maneira diferente... Mas o que quero dizer com essa porra toda é que dificilmente vou atrás, fico fanático por algum músico ou banda, ao ponto de considerar ele ou ela um Deus em forma de ser humano, um ser intocável, que tudo o que proclama está certo, etc...
Historicamente, digo que minha banda de infância foram os Engenheiros do Havaí. Tudo porque meu primo Gérson e eu, quando estávamos na quarta série dos anos iniciais, combinamos de cada um comprar um disco deles, para termos a coleção completa. Então, o outro emprestaria o disco para o um para que gravasse a parada em VHS (!!!!). E acho que os Engenheiros foram a porta de entrada para as outras bandas de rock ou pop brasileiras, principalmente gaúchas, como Papas da Língua, Nenhum de Nós, Cachorro Grande, etc. Gosto de praticamente todas, e mais ainda das nacionais clássicas, como Renato Russo, Raul Seixas, Lobão, Paralamas, Titãs, etc... Ah, e claro, li a autobiografia do Lobão, 50 anos a mil, e fiquei mais fã do cara (apesar de que admito que ele fala muita merda na TV, mas, como disse, não ponho os caras que admiro o trabalho no patamar de Deus intocável).
Por fim, aqui nos States tenho ouvido algumas músicas mais UPs, talvez pelo momento, por estar aqui, realizando um sonho, estando num lugar que nunca imaginei que um dia eu iria estar, e entrando em contato com gente que antes eu só sonhava em ver pela televisão, como a viúva de Hunter Thompson (meu objeto de tese), ou ainda, indo em lugares fodas pacaraí
– e pensando nos que ainda estão por vir. Então, numa dessas, peguei um gosto especial por Pitbull e Florida. Pô, você viaja (hipoteticamente) ouvindo a música dos caras – e principalmente vendo os clipes, cheio de paisagens e gente dançando cheia de swing. Aliás, eu adoro ouvir música, até canto e danço pelado no banho sozinho de vez em quando (principalmente quando recebo excelentes notícias, como quando ganhei a bolsa para vir pra cá...), canto pacaraí (no sentido de quantidade, não de qualidade) mas de todas as possibilidades que a música propõem, creio que o meu ponto mais baixo é dançar na frente dos outros... Até adoro dançar, tento acompanhar os outros e lá pelas tantas mando a vergonha pra puta que lhe pariu, etc... mas sempre acabo dando uma de Ross...
Mas, enfim, o importante é ser feliz... E quando estou feliz, uma das coisas que mais gosto de fazer é ouvir música e dançar..
Bom, talvez eu volte a comentar mais sobre música em breve, mas não quis deixar a música tão isolada dos meus textos que guardo aqui, nessa espécie de arquivo pessoal público que é o blog...
Ah, e para finalizar, espero que a próxima postagem seja a confirmação de Very Good News for me, pois tive uma resposta muito foda hoje por email e espero que se concretize (e que tem tudo a ver com meus textos e, indiretamente, com a porra desse blog). So, see all of you (2 or 3) soon!

2 Comentários:

  • São dois Dudu! E o meu gosto vai do Rock às Clássicas passando pelo regionalismo e até (algumas) sertanejas. Mas quando me perguntam, pra evitar discussões, digo que sou dinossauro rockeiro!

    Por Blogger Marcos, às 25 de janeiro de 2014 02:33  

  • fuck german!
    não era vhs, german, era k7...

    até uns anos atrás eu tinha toda a coleção dos engenheiros, mas agora perdi o passo... vamos ver se recompleto ela.

    como já diria o Bob, a música quando bate você não sente dor

    Por Blogger Zaratustra, às 26 de janeiro de 2014 08:33  

Postar um comentário

<< Home