.

domingo, 29 de janeiro de 2012

A dona do parquinho

As crianças são uns bichinhos curiosos e que têm seu próprio código de conduta e de ética. Já desconfiava disso, mas minhas hipóteses se confirmaram hoje de tarde. Porém, como o ser humano não é justo, até o código de conduta das crianças segue a lógica que sempre moveu a humanidade: os maiores oprimem os menores.
Como é de costume, assim que chegamos na AABB minha pequena foi para o “peixe” tomar banho de piscina, mas logo sentiu frio e veio enrolada na toalha carregada pela “mãmãmá” tremendo os pequenos beicinhos. Depois de estar sequinha e quentinha, ela pegou o seu baldinho da Hello Kitty, cheio de pazinhas e brinquedos, e foi indo, pé ante pé rumo ao parquinho da AABB. Como era domingo e estava um calor insuportável, o parquinho, como toda a AABB, estava lotado de crias. Como a minha Larissa era a menor dentre todas as crias, e como existem crias um pouco maiores que parecem que têm o bicho carpinteiro no corpo, tratei de colocar a minha bilulinha em um canto, perto da divisa da areia com a grama com os seus brinquedinhos. E ela logo achou o que fazer: pegou a sua pazinha de plástico e começou a tapar a grama com areia. Pensei comigo mesmo: “ela vai levar uma semana para tapar toda a grama”, mas deixei-a fazendo a sua tarefa, que cumpria objetivamente, olhando com seus olhinhos curiosos da areia para a grama, e da grama para a areia, antes de encher a pazinha de areia e jogá-la na grama.
Eu fui interrompido da minha observação paternal ao ver se aproximar uma guriazinha, que devia ter uns 3 ou 4 anos, bem loirinha, de cabelos lisos e cara de anjo. Vi aquela criaturinha inocente se aproximar e falar, de forma inquisitiva: “ela não pode brincar aqui. A gente está brincando nesse espaço”, apontando com seu dedinho minúsculo para os seus amiguinhos que giravam naquele tareco de madeira em forma de círculo onde as crias ficam rodeando. “Ela deve ser a líder”, pensei, “e deve ter tomado a iniciativa de expulsar a intrusa, pois a minha Lari é muito pequena para eles”. Ainda um pouco surpreendido, enchi-me de coragem, franzi a testa e retruquei à pequena ditadora: “ela pode sim”. Estranhando o meu retruco, a pequena opressora quis saber o motivo da minha teimosia. Respondi, falando o mais sério possível: “porque ela é a dona desse parquinho”. Ao ouvir a resposta, a pequena alemoazinha virou as costas e saiu correndo para cochichar com os amiguinhos. Deve ter acreditado, pois não voltaram a importunar minha bilula, que ficou ali, por algum tempo, tentando tapar a grama da AABB com a areia do parquinho.
FIM

2 Comentários:

  • uoraa da minha nenecaaa....viu como os mais velhos são malvadoss?? fui excluída toda minha infância por meus irmãos e primos cruéiss!!!

    Por Blogger Carolina, às 30 de janeiro de 2012 09:38  

  • Tadinha da minha Lininha... mas é assim mesmo, as crianças um pouco maiores oprimem os menores...
    Eu tb passei por isso; uma vez me deixaram jogando bola sozinha, pq quis entrar no jogo...
    Mas não se preocupe, Dudu, daqui um tempo ela mesma saberá se impor... hehehe...

    Por Blogger Nara Miriam, às 1 de fevereiro de 2012 03:05  

Postar um comentário

<< Home