.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

História pra boi dormir

Ontem à noite assisti a um mini-documentário sobre a morte de Kadafi na Globo News. Óbvio que tirei minhas próprias conclusões dos fatos, e não comprei o discurso de que o mundo se livrou de um monstro, conforme dizia o texto de trechos do documentário, lido pelo locutor em tom debochado. A verdade é simples e ficou clara no documentário: a Líbia tem petróleo. Kadafi era um ditador que não queria que metessem a mão no petróleo líbio. Os Estados Unidos queriam o petróleo, logo, armaram os rebeldes anti-Kadafi para derrubarem a ditadura de mais de 40 anos. Inclusive, os americanos e parte dos europeus, após o aval da ONU (entidade que serve para legitimar absurdos e massacres de todos os tipos, desde que interessem aos Eua), começaram a atacar de tudo quanto é jeito o governo Kadafi. Porém, foram mais discretos do que fizeram no Iraque: ao invés de eles bombardearem, simplesmente repassaram as armas para os revolucionários, que de revolucionários têm muito pouco. E, assim, foi propagada a imagem do Kadafi sanguinário, cruel, diabólico, etc. Tudo bem, ele cometeu diversos absurdos, mas nada comparado com o que os americanos vêm fazendo desde o início do século passado. E, assistindo a essa palhaçada toda, fiquei me perguntando: Ruanda, Coréia do Norte, Congo, Nigéria e muitíssimos outros países contam com ditadores e líderes sanguinários que fazem verdadeiras matanças civis e por que diabos os americanos não se metem nesses países?? Será que é por que eles não têm petróleo? E, enquanto isso, os povos colonizados pelos Eua, como o Brasil, vão comprando a idiotice propagada pela emissora americana em terra tupiniquim (Globo) de que o mundo se livrou de mais um ditador cruel.
O negócio é óbvio: os Eua armaram os revolucionários para que eles derrubassem Kadafi. E o quê eles vão querer em troca? Tipo, você tem petróleo no teu pátio e você quer matar o seu sogro, mas não sabe como. Eu te dou as armas, assim, como quem não quer nada, mas depois que você traçou o sogro eu vou aí te visitar, inocentemente, e vou levar um pouquinho do teu petróleo, afinal, lembra daquela vez que eu te ajudei a se livrar do sogro??? Sacumé, né?
Enfim, essa política vem sendo praticada há décadas, mas os poucos que denunciam isso, tanto na imprensa estrangeira quanto na nacional (salve, salve meu conterrâneo Fausto Wolff) passam por malucos e lunáticos. São chamados de paranóicos que criam teorias conspiratórias de que os Estados Unidos querem dominar o mundo. Na verdade, não é os Estados Unidos, enquanto nação, que quer dominar o mundo. Na verdade os líderes dos Estados Unidos querem é ter as riquezas do mundo para si, ou seja, querem enriquecer ainda mais. Mas os políticos deles, assim como os nossos, estão se lixando para o povão. Eles querem ter o controle das riquezas dos outros países para eles mesmos aumentarem o seu próprio patrimônio pessoal.
Enfim novamente, você aí, do outro lado da tela, já deve estar pensando que eu enlouqueci de tanto ler Fausto Wolff. Mas é tudo tão óbvio que chega a ser espantoso como o mundo inteiro engole essa merda toda que é transmitida pelos noticiários que se transvestem de sérios, mas que, assim como a travesti mais gostosa, tem uma surpresinha escondida no meio das pernas. Estou só esperando os americanos se meterem pra valer com a China para o mundo acabar com a terceira guerra mundial. Ou, se não acabar, no futuro, os orientais é que vão dominar a porra toda e, se quiserem, vão pisar no ocidente, bem como os americanos fizeram com Hiroshima e Nagasaki.
Para fechar o assunto, hoje é meu aniversário. Como nos últimos anos, talvez pelo fato de fazer aniversário próximo do fim do mês, não tenho grana para comprar caixas de cerveja nem para sair para comemorar a minha entrada na casa dos 30. Então, na falta do que fazer nessa data simbólica, fico aqui, enchendo a paciência de vocês.
Hasta!

6 Comentários:

  • Tive um professor de Sociologia que disse, se o Brasil parar de exportar comida, acaba-se a fome nesse país!
    O IDH na Líbia era um dos maiores do mundo. Educação até a faculdade grátis, os que se destacavam eram mandados pra europa e estados unidos pra se aperfeiçoar. Lógico, o cara roubou, matou etc..., mas muito mais foi detonado por não querer ninguém metendo a mão no petróleo deles.
    É isso aí alemão. Tô que nem a virgenzinha assustada, tô contigo e não abro!

    Por Blogger Marcos, às 21 de outubro de 2011 14:13  

  • Ah! Feliz aniversário!

    Por Blogger Marcos, às 21 de outubro de 2011 14:14  

  • Porra alemao, pode deixar que eu tomo umas cerveja por ti ae

    Como jà disse o filòsofo Zeca Baleiro numa musica, "pior que o fim do mundo para mim è o fim do mes"

    abraço ae

    Por Blogger Zaratustra, às 22 de outubro de 2011 10:08  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger ababeladomundo, às 24 de outubro de 2011 09:13  

  • é a crise dos 30....

    Por Blogger Eduardo, às 24 de outubro de 2011 09:44  

  • Há muito tempo, escrevi um texto sobre você e outro amigo meu em que eu menciono o Fausto Wolff. Olha aqui, ó:

    http://ababeladomundo.wordpress.com/2009/04/07/amigos/

    De resto, seus textos andam cheios de uma rebeldia meio adolescente ultimamente. Relaxa, cabrón. That's the way it is.

    Por Blogger ababeladomundo, às 24 de outubro de 2011 11:34  

Postar um comentário

<< Home