.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Roth, o Imortal

Nada mais justo para assumir um clube que se autodenomina imortal, do que um treinador imortal. Confesso que, há pouco tempo, disse para outros gremistas: “Se o Grêmio contratar o Roth eu não assisto mais aos jogos até o fim do ano”. Mas, com os resultados e atuações pífias que o tricolor teve no curto período sob o comando de Julinho Camargo, eu fui um dos primeiros a sonhar com Celso Roth de volta ao Grêmio. Inclusive, para recebê-lo, acho que os torcedores deveriam ter feito uma festa pirotécnica, como aquela que estava sendo programada no início do ano, quando o clube ainda sonhava com Ronaldinho Gaúcho.
Celso Roth, o treinador mais imortal da história do futebol gaúcho, deverá cair como uma luva nesse time do Grêmio. Roth dá preferência para a estabilidade do sistema defensivo, para só depois armar a equipe ofensivamente. Isso irrita os torcedores quando o time conta com diversos jogadores ofensivos de qualidade, o que não é o caso do Grêmio. O novo velho treinador do Olímpico deverá arrumar de imediato o sistema defensivo do time, que está há muito tempo uma zona, uma peneira, uma festa de arromba para os adversários, independente do jogo ser fora ou em casa... Só parando de levar gols é que o Grêmio vai sair da parte debaixo da tabela. Os torcedores sabem disso. Por isso a maioria dos gremistas ficou satisfeita com o nome de Roth para comandar o time. Inclusive, no papel o Grêmio tem bons jogadores. Victor é inquestionável. Jogadores como Lúcio, Rochemback, Gilberto Silva e Douglas não podem ter desaprendido a jogar de uma hora para outra. E na frente, André Lima, Leandro e Miralles não são maus jogadores. O que faltava, desde a saída de Renato, era comando no vestiário. É inadmissível um jogador, por mais estrela que for, deixar o treino jogando o colete no chão por estar brabo com uma decisão da comissão técnica. E Roth não tolera esse tipo de coisa. Roth é o treinador que deixou Ronaldinho Gaúcho e outras estrelas de Grêmio e Inter no banco de reservas, irritando torcedores. Não se intimida. Não importa se o autor da indisciplina foi um jogador de seleção ou um recém egresso das categorias de base. Esse é o Imortal Celso Roth, o eterno salvador da pátria da dupla Gre-Nal.
Inter – Já o Inter perdeu Roth para o Grêmio. A situação dos colorados é parecida com a que estava o tricolor. Esse treinador aí, que nem sei o nome de cor, não tem nenhuma expressão e os adversários estão fazendo a festa. O clube supervalorizou um torneio que não tem valor nenhum, comemorou uma vitória nos pênaltis contra o Milan em uma decisão de 3° lugar, mas, ao chegar em Porto Alegre, conseguiu a façanha de empatar com o bisonho Atlético-GO no Beira-Rio e levar um chocolate do Fluminense no Rio. Está na hora da diretoria colorada acordar. Afinal, são só cinco pontos que estão separando o clube do Beira-Rio do clube do Olímpico. Em um campeonato de pontos corridos isso é muito pouco. Assim como o desempenho do Inter, que queria o título, e agora já se contenta com uma vaguinha na Libertadores. Do jeito que está, os colorados logo vão ter que comemorar uma permanência na Série A, única corneta que lhes resta contra os bi-rebaixados gremistas.
Como diria o Gaguinho: por hoje é isso pessoal. Um bom final de semana para todos, inclusive para o meu amigão Celso Roth!

*Texto publicado no Jornal das Missões deste sábado.

4 Comentários:

  • porra alemao, nao sei como tu consegue comemorar o Roth.

    vou centrar todas minhas atençoes sobre o jec na terceirona, a partir de hoje. Atè pq a Sampdoria, meu time da Italia, caiu pra serie B na ultima temporada e nao sei se consegue voltar esse ano.

    talvez o melhor seja largar mao do futebol mesmo

    Por Blogger Zaratustra, às 6 de agosto de 2011 10:01  

  • te falei q ia se 0a 0 com o palmera!

    Por Blogger Eduardo, às 6 de agosto de 2011 18:13  

  • Roth copero... eu compartilho da tua opinião... ele era mesmo o nome certo pra arrumar a casa e colocar essas estrelas na linha.

    Com ele, tenho certeza que o Grêmio NÃO cai e MAIS, vai brigar na parte de cima da tabela.

    Enfim, Roth, O Salvador da pátria tricolor...

    asuahsuahusha

    Abraço ae manolo!

    Por Blogger Mr. Gomelli, às 9 de agosto de 2011 20:27  

  • O Roth é cavalo paraguaio! Seus efeitos duram seis meses, o truque é contratá-lo na parte final do campeonato, as vezes dá certo! Heheheheheh!

    Por Blogger Marcos, às 10 de agosto de 2011 04:25  

Postar um comentário

<< Home