.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

TPM, gênios & Cia

Ainda quero escrever um texto falando sobre as primeiras impressões que estou tendo sobre Pelotas, terra do Émerson e do Simões Lopes Neto, mas como estou na corrida, vou me ater a comentar os livros que estou lendo no momento (só pra variar...).
Desde que troquei a região das Missões pela região Sul do RS, tenho usado o tempo gasto com inutilidades (como uma viagem de 10 horas de ônibus, espera em filas de imobiliárias e outros tipos de aguardos) para acelerar minhas leituras. Desde o último post até esse terminei de ler o Medo e Delírio em Las Vegas, do Hunter Thompson; comprei e li em um dia o Manual do Frila, um guia explicando como constituir uma carreira de frila para jornalistas, escrito por Maurício Oliveira; e comecei a ler outro, sobre a apuração das notícias, além de iniciar a leitura do 50 anos a Mil, do Lobão.
Dentre tantos assuntos e temas interessantes para se comentar, que renderiam uma dezena de outros posts, vou ficar hoje em duas pequenas passagens do livro do Maurício Oliveira, os dois bem lights (não vou entrar aqui na discussão da proposta do livro). O primeiro trecho, procurei agora há pouco, e não encontrei, para fazer a transcrição literal, entretanto, o Maurício diz que, de uma forma geral, o humor da redação acompanha o humor do chefe... De fato, encontrei aí uma explicação para entender algo que até bem pouco tempo embaralhava a minha massa cinzenta: o quê transforma determinadas pessoas que conheci em outras situações, fora das redações, em bichos com eterna TPM no ambiente de trabalho? Aí está! O humor do chefe...
Já a outra, é a citação que o próprio Maurício fez de um texto de Domenico de Masi sobre as cidades de porte médio. Como troquei uma cidade pequena por outra de porte médio, acho que isso pode me servir de inspiração para os próximos meses. Vejam vocês:

"Muita gente se muda para cidades grandes, como São Paulo, por imaginar que terá melhores condições de trabalho. Mas as metrópoles são muito dispersivas, desafiam a criatividade. Se fôssemos fazer uma pesquisa sobre onde nascem as ideias no Brasil, veríamos que boa parte provém das cidades médias, que oferecem o ambiente propício para a criatividade. Atenas, na época de Péricles, contava com 40 mil habitantes. Florença, no tempo dos Medici, tinha 50 mil até 1348, quando houve uma grande peste e reduziu a poluação para 20 mil moradores. Michelangelo, Da Vinci e pelo menos mais 90 gênios surgiram daí".

Eu acrescentaria que, no caso dos escritores brasileiros, outros vários gênios de pequeno, médio e grande porte vieram de cidades médias/pequenas gaúchas. Fico no exemplo apenas de alguns deles: Erico Verissimo viveu em Cruz Alta até os 25 anos. Com a mesma idade, Quintana deixou Uruguaiana. Caio Fernando Abreu saiu de Santiago só na adolescência, Charles Quifer partiu de Três Passos e Juremir Machado da Silva veio de Santana do Livramento para a capital gaúcha. Já Simões Lopes Neto formou toda a sua obra em Pelotas. Ou seja, a ideia apresentada por Domenico, no mínimo, faz sentido.
Mas, agora o meu tempo nessa lan house de Santa Teresinha está acabando e, por isso, vou encerrar me texto por aqui.

Hasta!

5 Comentários:

  • Porra alemao, eu descobri faz algum tempo que nasci para viver em cidades mèdias.

    Depois de meses sem ler, hoje li o prefàcio de um livro. Jà è alguma coisa.

    Esse negocio das impressoes das cidades è bom começar logo, senao depois acaba'se deixando de lado

    porra alemao

    Por Blogger Zaratustra, às 16 de julho de 2011 15:45  

  • Olá! Descobri teu blog clicando de um link a outro :P
    Achei super bom e interessantes teus textos. Estou louca pra ler sobre tua impressão de Pel. Falando nisso,sou de Pelotas e tenho um apto pra alugar, no porto e de 1quarto com garagem. Se te interessar manda e-mail. msregio@hotmail.com
    Abs.,Marília

    Por Blogger Marília Régio, às 18 de julho de 2011 07:43  

  • poha manolo... tava sem ler há uns dias, mas aí hj arrumando as coisas no apê achei o livro que tava lendo antes no meio das caixas lá... vou retomar... mas não é nada tão significativo como os teus... hahaha

    aliás tchê, podia me emprestar esse Manual do Frila aí neh... sabe como eh neh... to desempregaaado, com "falência múltipla dos meus órgãos financeiros", de repente é um caminho... hahahaha

    abraço ae!

    Por Blogger Mr. Gomelli, às 19 de julho de 2011 15:56  

  • Vou reforçar minha dica: leia Satolep, do Vitor Ramil. Bem propício para o momento! (eu nem li o post pra saber o que tu anda lendo, é que já li demais os posts mais recentes... hehehe.. mas, anyway, #ficaadica!)

    Por Blogger Lara, às 28 de julho de 2011 17:10  

  • concordo contigo...nós, aliás, os gênios da literatura....hehehe... nascemos em cidades pequenas e fomos para médias....hehehehehebjs, sucesso! ah, e quando puder, palpita no meu blog; afinal tu és um dos poucos leitores que tenho...athenasminerva.blogspot.com.

    Por Blogger Athena, às 4 de agosto de 2011 05:13  

Postar um comentário

<< Home