.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Melancólica despedida

Assim como o Renato teve uma despedida triste do Grêmio nessa sua primeira passagem pelo tricolor como técnico, eu também tive uma despedida melancólica de Santo Ângelo nessa semana. Tudo bem, eu já não estava morando aqui, mas agora estou indo para ainda mais longe, portanto, considerei a noite que vou narrar como uma espécie de despedida. No entanto, antes daqueles que me odeiam soltarem foguetes, aviso que continuarei escrevendo nesse humilde espaço todos os sábado.
A minha melancólica despedida ocorreu na noite de quarta-feira. Cheguei de Ijuí por volta das 18h e achei que conseguiria me despedir da meia dúzia de amigos que sobraram na cidade assistindo ao jogo do Grêmio, na estréia de Julinho Camargo, contra o Cruzeiro. Doce Ilusão. Enquanto viajava no tortuoso pinga-pinga Cruz Alta-Santa Rosa, eu ia imaginando meus amigos todos reunidos, assistindo ao tricolor se recuperar de forma épica contra o super Cruzeiro. E mais: fora de casa. Meu coração palpitava fortemente imaginando os gols e a minha boca salivava pensando na cerveja gelada (apesar do frio) que eu iria tomar, imaginando brindes e mais brindes com meus amigos, todos gremistas, todos felizes. Seria a despedida perfeita! O povo todo reunido e o tricolor dando show em campo. Quem dera, meus amigos. Quem dera!
Primeiro, ao chegar a Santo Ângelo, tentei ligar para a meia dúzia de amigos que ainda me sobraram na cidade. Quando falo amigos, falo de amigos de verdade, que estão sempre presentes na missão, faça chuva ou faça sol. Pois é. O primeiro que tentei localizar, a ligação caiu na caixa de mensagem. O segundo, idem. O terceiro não atendeu. O quarto também não. O quinto não atendeu, mas liguei para a namorada dele, que não tinha notícias e disse que também não iria ver o jogo porque tinha aula da auto-escola. Já o sexto atendeu, mas, incrivelmente disse que não iria porque tinha prova! Putraquepario! Nos bons tempos do Grêmio não tinha prova que tirasse o povo da frente da TV! Agora, até uma aula na auto-escola rouba a audiência tricolor! É o fim! E, para completar, convidei o editor aí do jornal, que não foi porque disse que tinha que fechar a edição de quinta... Pow, ele poderia fechar o bagulho todo na volta do jogo, não acham?
Mas, enfim. Como não sou pouca bosta, mesmo a pé (sempre honrando a letra do nosso hino) encarei o frio e saí aqui do bairro Harmonia rumo a um bar qualquer que estivesse passando o jogo. Aí começou meu segundo problema. Além dos cagalhões dos meus amigos me abandonarem na minha própria despedida, descobri o seguinte: os cagalhões donos de bar também optaram por transmitir o jogo do Inter, que era no mesmo horário. Como diria o Mario Quintana: ora bolas, já se viu! Absurdo, absurdo. Passei pela frente do bar do meu amigo (que diz que não é meu amigo) Teixeira, e lá estava uma faixa gigante “Assista aqui aos jogos do Inter”. Putraquepariu de novo. Nem me dignei a entrar. Passei pelo centro e até chegar na Quick, todos os outros bares que cruzei estavam passando o jogo do Inter. Absurdo. No meu tempo, era o contrário: para cada cinco bares que passavam os jogos do Grêmio, um passava o do Inter. Esse mundo está mesmo perdido....
E, para completar a decepção da noite, o Cruzeiro fez 1 a 0 ainda no primeiro tempo. Como já estava de saco cheio, e tinha toda a caminhada de volta para casa, vesti meu casaco e voltei para a rua gelada. Na volta, passei na Bebilar e peguei umas latinhas para escutar o resto da tragédia em casa. Final: Cruzeiro 2x0 Grêmio e Inter 1x0 Atlético-PR. Inter na ponta de cima, Grêmio na ponta de baixo da tabela. É, meus amigos, hoje em dia quem é gremista é sofredor. Em todos os sentidos. Espero que os ventos mudem quando eu pisar em terras pelotenses. Ah, e por favor, irônico leitor, sem piadas sobre os pelotenses.
Um bom final de semana a todos.

*Texto a ser publicado no Jornal das Missões de sábado - se não houver censura.

7 Comentários:

  • ateh parece q nunca morou longe de santo cityy cão...pobre gremio greminhoo viu o q dá o renatinho sair? ele q dava encanto ao time hauhauhauahuahau

    Por Blogger Carolina, às 6 de julho de 2011 18:39  

  • diretoria burra da porra... sem comentários...

    Por Blogger Eduardo, às 6 de julho de 2011 18:44  

  • aa só um pouquinho gente o renato só fazia beiçinho....xau pra ele...
    mas é gente boa..hehe
    e zizo agente vai te visitar em Pelotas nao se preocupe..nem é tao longe assim..hehe

    Por Blogger KaKá, às 6 de julho de 2011 18:51  

  • Toma um Dreier. Pra esquentar, pq reanimar vai precisar mais do que isso. Abraço! Sorte em terras pelotenses.

    Por Blogger Velho Santiago, às 6 de julho de 2011 23:01  

  • Então nada de piada sobre nozes, nem de fazendeiro pelotense! Tá bom.
    Entretanto, se uma porta se fecha, abre-se uma janela, ouvi isso não lembro onde.
    Sucesso guri, que talento tu tem, oha alemão!

    Por Blogger Marcos, às 7 de julho de 2011 05:09  

  • o próprio hino já diz: até a pé nós iremos....e que o inter é melhor, nunca oi novidade! entretanto...sucesso em Pelotas! Que Deus te acompanhe e à tua família, td de bom. bjs

    Por Blogger Athena, às 10 de julho de 2011 16:03  

  • poha manolo... eu fui jogar bola quarta na MINHA despedida de San Angel... despedida futebolística... hehe...

    senão tinha ido beber e jogar pelo Grêmio ou com o futebol de MERDA que o Grêmio tem apresentado...

    enfim, piadinhas com Pelotas já to acostumado... sempre as mesmas sem graça... foda-se

    hasuhasha...

    e o tricolor vai chegar no G4 com o Paulinho Mixaria de técnico... anota ae. ;]

    Por Blogger Mr. Gomelli, às 11 de julho de 2011 16:26  

Postar um comentário

<< Home