.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Amor e ódio

Já vi dezenas de filmes que tratam do absurdo que foi o holocausto da Segunda Guerra Mundial. A lista de Schindler, O menino do Pijama Listrado, O pianista, e muitos outros, além de alguns que tratam do assunto secundariamente, como O Leitor. Nessa semana foi a vez de assistir a mais um filme sobre o tema: Amor e ódio. Trata-se de um filme que aborda a participação do governo francês como colaborador do governo nazista. Mais especificamente, em 1942, o governo francês reuniu mais de 10 mil judeus e entregou-os aos alemães. O filme mostra desde a marcação dos judeus em Paris (que usavam a roupa com uma estrela, ficando proibidos de ter acesso a escola, restaurante e outros locais públicos), passando pela captura feita pela polícia francesa, até a concentração de todos os presos em um ginásio de esportes em condições absurdas de sobrevivência (homens, mulheres, crianças e doentes em todos os níveis de enfermidade) com comida, água e tratamento médico precários (era um médico para as mais de 10 mil pessoas). Além disso, o filme mostra as negociações entre o governo nazista e o governo francês e o envio dos judeus que estavam na França para campos de concentração alemães. Tudo se torna ainda mais absurdo quando você pára para pensar que os mais de 10 mil prisioneiros, entre eles mulheres, crianças e idosos (além dos homens, que também eram inocentes) foram literalmente cruelmente exterminados.
Tem gente que considera excessivo o número de filmes que tratam da Segunda Guerra Mundial. Entretanto, eu acredito que nunca será demais, pois a humanidade sempre terá que se lembrar da atrocidade que foi cometida para nunca mais correr o risco de repetir algo parecido em sua história. Porém, infelizmente, o ser humano não tem limites para demonstrar o quanto é cruel e ignorante.
Se voltarmos para 1939, quando, iniciou a Segunda Guerra, ou ainda, para o início da década de 1930, que é quando Hitler começa a transformar o sentimento de revanchismo pela humilhação imposta ao povo alemão no fim da Primeira Guerra em nazismo, enfim, se pensarmos que nesse período o ser humano já tinha passado pela Guerra dos 100 Anos, pela Revolução Francesa, pela Revolução Russa, pela Guerra Civil norte-americana e pela Primeira Guerra Mundial, é absurdo acreditar que a humanidade permitiu que a loucura de Hitler e de seus seguidores chegasse às proporções que chegaram. É inacreditável de se pensar que as populações de alguns povos, como a francesa da época da Segunda Guerra, apoiaram o nazismo alemão e outros movimentos anti-semitas. É difícil de entender isso, mesmo vendo um milhão de filmes e lendo um bilhão de livros. A burrice coletiva, realmente, não tem limites.
Agora, pior do que isso é perceber que em 2011 ainda circulam por aí, em redes sociais e na internet, comunicados e grupos que transmitem mensagens nazistas, racistas, e anti-semitas em alguns pontos do globo, inclusive no Brasil e no Rio Grande do Sul. Cada vez que vejo a notícia de que determinado grupo foi preso com material nazista, isso me dá arrepios e ânsia de vômito, porque parece que a humanidade não aprende nunca com as atrocidades bestiais cometidas no passado. É simplesmente inacreditável e inadmissível esse tipo de movimento.
Eu já defendi aqui marcha pela maconha, parada gay e outros movimentos que buscam garantir a liberdade do ser humano, agora, todo o tipo de movimento que visa reprimir outro grupo, como o dos que querem ressuscitar as premissas de um louco como Hitler, deve ser expressamente proibido. Além disso, a legislação deveria prever a punição mais severa possível para quem fizesse qualquer tipo de propaganda nazista, racista, homofóbica, ou com qualquer tipo de incitação a violência contra determinado grupo.
E é por essas e por outras, que indico aqui para todos esse excelente filme: Amor e ódio.
Um bom resto de semana a todos.

*Texto publicado em A Tribuna Regional

5 Comentários:

  • Falou e disse!

    Por Blogger Marcos, às 5 de julho de 2011 05:33  

  • Pois olha tchê, os tais que defendem o nazismo ainda em pleno século 21, não passam, na minha opinião, de rebeldes sem causa, ou seja, gente que quer aparecer, se mostrar diferentes, mas aí vão apelar justamente pra isso? pow, sacanagem...

    quanto ao racismo e à homofobia, acho que vem acontecendo um exagero, porque agora é moda tu falar que alguém foi racista ou homofóbico. Acho que são conceitos muito mais amplos do que meras expressões, por exemplo. Aliás, acho as cotas para negros nas universidades, uma das formas de racismo mais significativas e que, veja você, são elogiadas pelos negros.

    Porque, se todos são iguais, como é defendido quando se combate o racismo, como pode no ingresso à universidade se diferenciar brancos e negros?

    Acho que o certo então seriam cotas para pessoas de baixa renda, incluindo aí negros, brancos, amarelos, azuis... hahaha

    Mas aí é a minha opinião neh... hehe...

    Se um dia achar esse filme poderei falar se gostei ou não... hehe...

    no mais era isso...

    abraço ae manolo!

    Por Blogger Mr. Gomelli, às 5 de julho de 2011 10:16  

  • Comentando o comentário do Gomelli, a Athena disse a mesma coisa no blog dela. As cotas não deveriam ser para os negros e sim para pessoas de basixa renda, não importa a cor!
    A verdade meeesmo era que todos deviam te acesso a educação até o nivel superior gratuita!

    Por Blogger Marcos, às 5 de julho de 2011 12:56  

  • Excelente texto, Dudu; concordo ipsis litteris com \mr. Gomelli, inclusive, reforçando o que marcos disse, já falei sobre este assunto em meu blog ( confere lá: ahtenasminerva.blogspot.com); e o nazismo tem que ser combatido sempre, inclusive é bom recordar o nazista de Sta Cruz do Sul (não recordo o nome) foi condenado à prisão pelo que fazia, ou seja, a apologia ao nazismo e a separação do RS do Brasil. Ainda vou comentr isto com o voto do Ministro do STF. Abraços, té mais.

    Por Blogger Athena, às 10 de julho de 2011 16:12  

  • ACHO QUE, ESTAMOS NO CAMINHO CERTO, TEMOS QUE COIBIR CADA VEZ MAIS, CERTAS COLOCAÇÕES DE RACISMO DE MODO GERAL. AGORA CONCORDO COM UM DOS DEPOIMENTOS, QUE FALA EM RELAÇÃO A COTAS PARA NEGROS, ACHO UM ABSURDO ISSO, POIS EU SOU MORENO,E QUE ME CONSIDERO NEGRO,E SOU REALMENTE PARA A SOCIEDADE DE MODO GERAL. E NÃO GOSTEI DAS COTAS PARA NEGROS, POIS NÃO ME ACHO MENOR QUE NENHUMA OUTRA PESSOA DE COR BRANCA OU PUTA QUE PARIO.! ISSO ME DEIXA INDIGUINADO.

    Por Blogger marcos, às 5 de março de 2013 17:05  

Postar um comentário

<< Home