.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Saudosas doideras

Sempre fazendo mudança acontecem coisas, do tipo, você encontrar fotos e cartões que você nem lembrava que existiam. Outro dia, antes da mudança, cheguei do trabalho, após uma sexta-feira daquelas, fechando páginas e aguentando a mulherada da redação do JM na TPM, e me deparo com a patroa, que joga um envelope em cima da mesa e pergunta, inquisidoramente:
- O quê é isso, Eduardo??!!
Quando ela me chama de Eduardo é porque a coisa ta feia. Olhei aquele envelope, azul com uns coraçõezinhos prateados e fiz a única coisa que poderia fazer naquele momento: pensar. Não fazia idéia de onde tinha surgido aquilo. Pego-o com calma e lentamente abro o dito cujo, com a testa enrugada, característica de meu pai, e então tiro um cartão de dentro do envelope envelope. Era um cartão esteticamente bem desenhado e nele havia alguns dizeres, com uma letra bem desenhada, afirmando que eu era muito especial e outras coisinhas mais. Então, larguei o cartão e o envelope num canto e resmunguei:
- Ah, esse eu ganhei da XX, de dia dos namorados, mas nem lembrava mais que existia... Aliás, nem lembrava de ter guardado esse troço...
A atitude da patroa é aquela clássica do gênero. Em meio a um beiço fenomenal, ela diz, rasgando tudo:
- Bom, se não serve mais pra nada então vou botar no lixo...
E assim se foi o último resquício físico de lembrança que eu poderia ter daquele período em que eu pegava o carro do meu pai para ir passear em Entre-Ijuís nas noites de sábado...
Enfim, chegando em Pelotas, desencaixotando a muambada toda, deparo-me com aqueles pequenos álbuns de fotografias... Algumas fotos até já passei para o PC e botei no Orkut ou aqui mesmo no blog, não lembro bem, mas o fato é que fazia tanto tempo que não as via, que nem lembrava que existiam... Bem como já quase nem lembrava os dias em que foram batidas...
O primeiro álbum que peguei foi justamente o que tem as fotos do show dos Rolling Stones em Copacabana em 2006. Olhando as fotos, até eu duvido que eu de fato estive lá. Tem foto do Mick Jagger na janela do Copacabana Palace, foto de uns caras vestidos de terno e gravata com microfones e câmaras de papelão “filmando” para a Rede Bobo, tem bateria de escola de samba desfilando pela avenida, tem monumento feito na areia com golfinhos e com o seguinte escrito “The Rollin Stone Rio 2006” e... só! Aí escureceu e na hora do show não consegui tirar mais fotos porque a máquina não tinha flash... coisas que acontecem. Enfim, vendo essas fotos me passou uma novela na cabeça, desde a minha saída de ônibus de Ijuí, passando pelas 24 horas de viagem até o Rio, minha ida até a Ilha do Governador, nossa saída para o show (antes do meio-dia, porque depois não tinha mais metrô...), a preliminar que contou com show dos Titãs, o show dos Rollin Stones, o pós show (que está descrito no meu livro-reportagem que fiz como projeto experimental pela Unijuí, mas que ficou engavetado, segundo meu orientador, pela crise financeira daquela instituição...) e por aí vai. Na sequência das fotos aparecem eu, a irmã do Anônimo (que tem vergonha de aparecer no meu blog) e o amigo da irmã do Anônimo na pedra da Cebola (ou seria alho?), em Vitória (ES). Sim, na semana após o show era carnaval, e aproveitei para dar um pulo no meu amigo que morava em Guarapari (ES) na época. Em outra foto, está o Anônimo, a irmã dele e o amigo da irmã dele na referida pedra... e em outra, tem um avião, pois a tal pedra fica do lado do aeroporto de Vitória...Depois, têm fotos e mais fotos das praias de Guarapari, verdadeiros paraísos desertos... e lembrei da gente voltando de carro, de Vitória para casa (após eu perder o meu cartão e não ter como receber o dinheiro da rescisão do jornal em que eu trabalhava...), enfim, lembrei da gente voltando e cantando: “ritmo... é ritmo de festa! Rei! Rei! Rei! E a Sônia Lima lá! La La La La La! Lalalalalala!!!!!! E o Lombarde, lá...!”. É, meu brother, o tempo voa e a gente engorda...
Já no outro albinho, mais lembranças de apertar o peito! Na primeira foto, estou eu, de camisa do São Caetano, com meu amigo Vinícius Carioca e toda a família dele em um churrasco em pleno carnaval 2005 no Rio!!!! Lembro até hoje! Chegamos em casa de manhã (se não me engano, foi nessa noite que me perdi da tropa toda na Lapa) e lá por uma da tarde o Carioca me acordou: “Gaúcho! Acorda! Vamos comer um churrasco tipicamente carioca!”. Na foto estão os pais dele, o irmão dele e um povo todo vestido com camisas de escola de samba (do Salgueiro à Beija-Flor!). Maior astral, Bonsucesso 2005!
Mas, caralho! Virando a página eu encontro duas fotos clássicas. Na primeira, estão o Vinícius Carioca com uma máscara do Pooh, a vizinha dele (que não lembro o nome) o Rafael (botafoguense que me ensinou o significado da palavra “morgado” e que dizia que odiava São Paulo, e eu retrucava dizendo que um dia ele ia se casar com uma paulista...), o Rodrigo e eu! Cara, só eu estou feliz na foto, pois lembro que foi tirada logo depois que a vizinha do carioca me achou, ao acaso, na finaleira daquela mesma madrugada em que me perdi do resto do povo... Lembro que me perdi da cambada lá por dez da noite e só foram me encontra lá por cinco da manhã, quando eu, bêbado, estava discutindo com um PM dizendo que eu tinha que pegar o ônibus de volta para Bonsucesso porque um amigo meu mora lá e... (!?). Mas o pior foi que ainda me perdi outras vezes naquele carnaval inenarrável!
E a outra foto! Doidera total! Está o Mário, a referida vizinha do Vinicius Carioca, a Gisele (uma finlandesa carioca amiga do meu irmão!!!) e eu na 5ª DP no centro do Rio, pois roubaram a carteira do Carioca no meio da muvuca... Depois têm mais fotos com o povo todo no Terrerão do Samba, no ensaio da Imperatriz Leopoldinense, na Lapa, na Sapucaí (essa de dia, porque não tinha grana pra ir ver o desfile) e por aí vai...
Mudando de álbum, encontro uma foto minha, com uns 13 anos, praticamente desnutrido, com camisa do Grêmio e sorriso Colgate no rosto. Na sequência tem a clássica foto minha com o Kaká, que já foi publicada e explicada aqui nesse mesmo espaço, tirada em Camboriú, e... vejam vocês... eu com a galera de Tejupá (SP)!!!! Na época, eu trabalhei como mensageiro de um hotel em Camboriú e conheci esse povo, que estava em excursão de finaleira de segundo grau... o ano era 2002! Ou seria 2001? Agora não lembro... Enfim, foi no ano em que o Atlético-PR foi campeão brasileiro... ou seja, foi 2001 mesmo. Nada como o calendário futebolístico para nos ajudar nessas horas... Aliás, saudoso ano em que trabalhei no Hotel Costa do Marfim, lá na 1500... Pegava das 7h às 15h e várias vezes fui direto trabalhar sem dormir e saía do hotel e ia pra praia joga uma pelada... Lembro que uma vez o time que perdesse caía fora e nós ficamos uns cinco jogos sem perder, até que o povo pediu água de tão cansado que estava...
Depois têm fotos da praia e, vejam vocês, fotos tiradas na pensão que eu estava parando lá em Camboriú!!! Caralho! Tem foto do mexicano doido que cantava Racionais com sotaque gringo! Muito doido. Tem até uma foto duma mina pelada, enrolada numa toalha, passeando pelos corredores da pensão... Banheiro coletivo é foda...
Depois têm fotos dos saudosos Jimbo e Violeiro lá em casa... Jimbão, meu parceiro de mais de 15 anos, praticamente um irmão! Sei lá porque cargas da água também tem uma foto de roupas no varal lá de casa, com destaque para um sutiã vermelho, que deve ser da minha irmã (será que ela usava esse negócio naquela época?). E em seguida há fotos do Fórum Social Mundial 2005, em Porto Alegre! Outra doidera inenarrável, que mereceria uma centena de posts nesse blog.
Em outro álbum têm fotos tiradas com máquina profissional no litoral catarinense, do meu tempo de fotógrafo-acadêmico... e em mais um, de cara, deparo-me comigo mesmo tomando uma cerveja com o Drummond em Copacabana... E não é ficção! Essa foto também já postei em algum lugar por esse mundo internético... Porra! E mais pra frente tem foto com a cambada toda (Vinícius Carioca, Tarso, irmã do Tarso e Cíntia) na Feira de São Cristóvão no Rio, um centro de tradições nordestinas. Depois, têm fotos nossas em um churrasco, não sei onde, em que a banda do Vinícius Carioca está tocando e eu estou com camisa do São Caetano comendo um churrasco tipicamente carioca... Há ainda uma foto em que estou no sofá sentado com a Dalila (a cadela do Carioca) e, mais pra frente, estamos na rodoviária. Ainda tem uma foto que tirei do Morro do Adeus, mas não tive tempo de tomar a boca lá e fui obrigado a voltar para terras gaúchas... Mais para o final tem uma foto em que estou com cara de ressaca na Candelária.
Mas, porra, têm fotos mais antigas ainda! Em outro álbum, aparecem fotos minhas, de quando eu tinha 14 anos, pedindo autografo para o Gamarra e o Goicochea (então jogadores do time lá da beira do rio) e outra da Fernanda Abreu saindo do mar de biquíni (ela estava em Capão para o Planeta Atlântida). E têm fotos ainda da gloriosa excursão feita para Curitiba de quando eu estava na 8ª série e ainda tomava só Coca-Cola!
Caralho, têm mais outras fotos aqui, mas cansei. Outra hora, se lembrar, continuo... já que agora vou curtir sozinho esse momento nostalgia...
Hasta!
PS: se um dia for possível, escaneio essa porra toda aqui pra vocês verem... Ou melhor, não escaneio nada, vocês que venham me visitar e jogar conversa fora!

3 Comentários:

  • tu roubou nossas fotos?????????? kero ver q fotos são essassssssssss olha olha

    Por Blogger Carolina, às 25 de julho de 2011 14:53  

  • hahaha... meee... qnta coisa manolo...

    eu, como odeeio fotos, não tive esse "momento" na minha mudança...

    Como gosta de foto rapah... hahaha

    abraço aee!

    Por Blogger Mr. Gomelli, às 26 de julho de 2011 19:27  

  • amo fotos, nem tenho + lugar p\as de papel, e o pc tá cheio de fotos tb; um dia eu organizo....ou não; mas quando a saudade bate, da família e dos bons tempos, adoro rever as fotos. bjs, boa estada em Pelotas.

    Por Blogger Athena, às 4 de agosto de 2011 04:58  

Postar um comentário

<< Home