.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Prazeres nada futebolíticos

Sei que falar de futebol aqui no blog não dá muita audiência, porém, ontem, no jogo do São Luiz, usufrui de outros prazeres que vão muito além das quatro linhas. Lembrei-me, inclusive, dos tempos em que meu pai me levava para Ijuí para ver jogos como São Luiz e Guarani de Cruz Alta ou São Luiz contra Dínamo de Santa Rosa. Primeiro passo, a ida até o estádio. Nesse primeiro aspecto, guardadas as devidas proporções, repeti um ritual que sempre fazia quando ia ver os jogos do Grêmio em Porto Alegre: a pé, com radinho colado no ouvido em uma mãe e uma latinha de cerveja na outra. Chegando ao estádio, praticamente em cima da hora do jogo decisivo contra o Novo Hamburgo, consegui achar um cantinho para mim, meio apertado, mas onde tinha uma boa visão do campo. Cheguei com fome. Comecei a olhar para os lados e parecia que todos naquele estádio estavam comendo amendoim. Minhas lombrigas foram atiçadas e, ao invés de ver o jogo, fiquei procurando o guri do amendoim. Olhava para cima, para baixo, para os lados, e nada do guri do amendoim. Enquanto isso, a mulher atrás de mim, o guri ao meu lado, o senhor idoso que estava abaixo, absolutamente todos estavam comendo amendoim. Que cosa. Lembrei, saudosamente, do tempo em que ia aos jogos com meu pai e comíamos amendoim em abundância. O jogo já estava na metade do primeiro tempo quando eis que surge ele, o guri do amendoim. Que na verdade nem era guri. Era um cara com 30 e poucos anos. Ele mal apareceu e todos os torcedores ergueram suas mãos chamando o homem do amendoim. Inclusive eu. A disputa era acirrada e pus-me a gritar: “EEEEEEIIIIII!! AQUIIIII!!!”. O Cara fez sinal para que eu esperasse e, enquanto isso, os sacos de amendoins iam sumindo de sua cesta. Como eu insisti muito, ele resolveu vir em minha direção e, para minha sorte, peguei um dos últimos saquinhos, enquanto os outros torcedores seguiram pedindo amendoim. Desse ponto em diante, preocupei-me mais em descascar os amendoins, tarefa que exige certa habilidade, do que em ver o jogo, que se arrastava em um chato 0 a 0. Quando acabei o saco de amendoim, acabou o primeiro tempo. Hora de outra diversão.
Desci até a copa e fiz algo que vai deixar torcedores da dupla Gre-Nal com inveja: tomei uma garrafa de cerveja com álcool! Isso mesmo, astuto leitor. Enquanto no Olímpico e no Beira-Rio não vendem bebidas alcoólicas, aqui, no 19 de Outubro ainda é possível encher a cara na copa para depois descontar tudo xingando o juiz e o adversário. E, além disso, comi o famoso cachorro quente de pão com linguiça no 19 de Outubro. Aquele mesmo que eu e meu primo Gérson Alemão comíamos quando a gente tinha uns 10 anos. Pois é, tem certas coisas que não mudam e nem devem mudar. Jogo do São Luiz sem o pão com linguiça não é jogo do São Luiz. Enfim, findada a missão de comilanças e bebedeiras, voltei para o meu lugar na arquibancada para ver o segundo tempo do jogo. Sem ter que me preocupar em descascar amendoim, restou-me prestar atenção no jogo. O São Luiz pressionou até o fim, mas faltou qualidade e o jogo terminou 0 a 0. Conclusão: o time não classificou para a próxima fase, mas também escapou do rebaixamento. E, no final das contas, o importante é o que importa.
Hasta.
PS: A foto do início do post é só pra dar audiência...

5 Comentários:

  • Porra alemao, falou tudo. Jogo do São Luiz sem pão com linguiça não é jogo do São Luiz. Mesmo com a linguiça sem o trema agora.

    E tu provavelmente acabou com a festa da cerveja no 19 de outubro, que imagino eu era vendida clandestinamente. Cuidado com as retaliações agora.

    Por Blogger Zaratustra, às 4 de abril de 2011 06:48  

  • auhauhauhauhaa. porra! mas tem Brigada Militar e o carajo a quatro no estádio! eu sou um mero candidato a escritor maltrapilho...

    Por Blogger Eduardo, às 4 de abril de 2011 07:15  

  • Sobre a cerveja nos jogos do SEU LUIZ:

    Poderia ser melhor. Já houve época em que era permitido beber cerveja em qualquer local do estádio. Hoje a cerveja [não Kaiser] só pode ser consumida na COPA [que para mim é uma espécie de área VIP sem pulseirinha].

    Do jogo: Primeiro tempo sonolento. Segundo tempo melhorou. SEU LUIZ criou chances e quase guardou. Porem nem tudo está perdido.
    Há esperança de que o o SEU LUIZ ganhe do Caxias lá.

    Por OpenID mkelm, às 4 de abril de 2011 12:24  

  • Dinamo de Sta Rosa... bah, nessa tu foi fundo. Eu ia no estádio com o meu pai ver o Dinamo. Bons tempos!

    Por Blogger Dilea Pase, às 5 de abril de 2011 17:25  

  • Eu, guri, ia com meu/nosso avô Bento, ao 19 de outubro e também me deliciava com o cachorro quente de pão, linguiça e mostarda braba.
    Dessa época lembro da rivalidade com os times de Cruz alta e Santo ângelo, além é claro, da rivalidade com o finado Grêmio Esportivo Gaúcho, da terrinha mesmo.

    Por Blogger Marcos, às 13 de abril de 2011 13:06  

Postar um comentário

<< Home