.

sábado, 11 de julho de 2009

Espécie em extinção

Depois de muito insistir, finalmente a minha irmã, Cartolina, digo, Carolina, escreveu um texto falando sobre como é ser uma pessoa ruiva. No entanto, lendo e revisando o texto que se segue (a pedido dela mesma), lembrei-me do meu orientador mostrando as correções que ele faz dos textos, dizendo: “mas tu tem que se decidir, ou tu usa assim ou tu usa assado. Não pode ficar aqui de um jeito, e aqui de outro”. E foi isso que minha irmã fez no referido texto: às vezes ela botava parágrafo, às vezes não, às vezes dava espaço depois do ponto, às vezes não, e por aí afora.. Bom, vou deixar para comentar como leitor, depois que estiver publicado. Como vocês poderão perceber, na minha família cada um tem o seu carma: um é alergia a ovo, outro é ruivo, outro é colorado, por aí vai... Chega de papo e segue o texto:

Quero ser mãe. O Dudu disse pra começar assim meu texto. Estava falando a ele que gostaria de ser mãe. De duas meninas: a Maria Flor e a Lis. E de um menino: Rafael ou Matheus, ainda não decidi. Disse também que seriam chocolatinhos, para o desespero tanto do Dudu quanto do Fábio - meu outro irmão. Ambos adorariam ter sobrinhos ruivinhos. Mas eu não deixaria aos meus filhos este legado.
Como sofrem os ruivos. Cabelo de fogo, cenourinha, laranjinha, moranguinho, são alguns dos mimosos apelidos que me acompanham desde a infância. Sem contar com meus adoráveis irmãos, que até hoje, quando vêem um ruivo, apontam e começam a rir: “Olha ali um ruivo hahahaha é teu namorado”. Acho que por isso prefiro os morenos. Traumas.
Esses dias estava tomando um chima na redenção e vi um hippie vendendo brincos lindos. Resolvi comprar:
- Ah este combina com seu cabelo- disse o hippie.
- Obrigada - respondi educadamente.
- Sabe que tem um amigo meu que morava na Irlanda, e ele contou que lá as ruivas são muito brabas.
- Ah é?! - “não só lá” pensei com meus miolos.
- Elas batem em seus maridos.
Bom, além de cenourinha, foguinho, etc, etc, etc, agora somos acusadas de cometer violência conjugal. Eu mereço! Ah! E tem as perguntas que me fazem: “só seus cabelos de cima são ruivos?”, “É natural? É tão raro!”, “Quem da tua família é ruivo?”. Nessas horas penso que sou adotada.
Outro dia, em um show da banda gaúcha Ultramen, também aconteceu um fato engraçado. Não lembro ao certo porque cargas d’água fomos (eu e minhas amigas) no camarim depois do show. Entrando lá, o vocalista grita:
-Meu Deus, você é ruiva???
- Sim – respondi, meio sem jeito.
- Tenho que te apresentar o fulano (não sei o que ele era da banda, baterista, baixista, algo assim), ele também é ruivo! Vocês têm que procriar a espécie! Seus filhos terão pedigree!
Pedigree? Agora viramos cachorros!
Tá bem... vou ser mais compreensiva já que os ruivos estão em extinção. Vendo uma entrevista no Jô, um menino ruivo afirmou que a previsão é de que em 2060 não haja mais ruivos naturais no mundo, e que mesmo um ruivo se casando com outro, não significa que os filhos nascerão ruivos. Isto é, os próximos seres humanos não sofrerão com os preconceitos enfrentados pelos cabeças laranjas.
Mas, ainda existimos. Estamos aqui, vivenciando a cada dia inúmeros preconceitos. Afinal, porque ninguém comenta “olha ali um loiro!”, ou “meu Deus, você é moreno!”? Daí seria racismo... então, tendo em vista a nossa sofrida existência, convoco todos os ruivos leitores desse blog (se é que exista mais algum leitor ruivo além de mim), para mobilizar-nos contra o preconceito e a favor da inclusão social dos ruivos! Viva La revolución! Ah, e meus filhos serão morenos, não que eu tenha preconceito comigo mesma, mas afinal não estou escolhendo nomes para serem substituídos por laranjinha.

14 Comentários:

  • Minha prima Cartolina... começo a entender como vc se sentiu a vida inteira. Nao, nao estou ficando ruivo, nem pintei o cabelo. Alias, o que me vem faltando ultimamente è o cabelo. E isso que me faz te entender. To começando a virar ponto de referencia.

    Viva la revolucion!

    Por Blogger Zaratustra, às 11 de julho de 2009 20:40  

  • Maria Flor e Liz. Pobres crianças... para sorte delas, seriam minhas sobrinhas. Rafael ou Matheus ainda vá. Mas enfim, para se confirmar a profecia de terminarem os ruivos em 2060, os ruivos que nasceram agora não poderão chegar aos 50 anos, portanto, acho errado esse cálculo. Acho que vai ainda até 2100, algo assim.. Mas enfim, sou a favor de tu arrumar outro ruivo, muito rico, e que goste de pagar cervejas e dar livros de presente para o cunhado, assim, ele será aprovado na entrevista do facão. É isso, viva la Revolucion!

    Por Blogger Eduardo, às 11 de julho de 2009 22:19  

  • Cara, gostei do texto da sua irmã...

    Tava lendo aqui e lembrando de uma entrevista, vista há pouco, do Nando Reis, onde o cara falava mais ou menos sobre isso. Ele também é o único ruivo da família e as pessoas o enxergavam como o "diferente". Só que pra ele, ser diferente não fazia a menor diferença, já que os seus irmãos possuíam alguma necessidade especial - não lembro se auditiva, visual... Enfim: ele terminou falando que pra ele, Nando Reis, ser diferente é ser normal...

    Também me recordei da história de uma grande amiga, nos tempos de colégio, que fazia mó alquimia na cabeça. Misturava tintas de vários tons e marcas e tacava no coco. Aí, um dia, o professor de Biologia, falando sobre Genética, começou a implicar com as louras e ruivas falsas da sala:

    "Fenocópia!"

    "Fenótipo de farmácia!"

    "Fenocópia mal feita!"

    Daí, quando avistou minha amiga, ficou babando:

    "Isso aí, é fenótipo de pai e mãe!"

    E minha amiga, toda serelelepe:

    "Não, profe... E by L'Oreal!"

    Uahahahahahhahaaaaaaa!!!!

    Eu gosto de uma ruivinha. E não sou ruivo. Avisa à sua irmã, pra mim...

    Uahahahhahaaaaaaaa!!!!

    Abração, véio. E desculpa a liberdade...

    Por Blogger Marcelo A., às 12 de julho de 2009 10:29  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger jfbullinger, às 13 de julho de 2009 12:50  

  • fala alemao! sò pra nao deixar morrer o assunto! le aì

    http://www.clicrbs.com.br/blog/jsp/default.jsp?source=DYNAMIC,blog.BlogDataServer,getBlog&pg=1&template=3948.dwt&tipo=1&section=Blogs&p=1&coldir=2&blog=219&topo=3994.dwt&uf=1&local=1

    Por Blogger Zaratustra, às 13 de julho de 2009 13:53  

  • Olha....eu adóoroo meu namorado ruivo, se um dia tiver filhos com ele quero ter filhos ruivos...o problema que só fui reparar que ele era ruivo depois de um mês ficando com ele...suhaushau..meio bizarro, agnt saindo do carro com uma amiga morena junto, aí derrepente eu meio loira olho contra o sol e.......Tu é ruivoooo!!! ahhahhahahaha...

    Por Blogger TaTí, às 14 de julho de 2009 06:03  

  • huashasuhauhau dudu tu falando mal do meu português! tah loco...eskeci de contar alguma coisa q agora eu nao lembro, mas ontem andando d carro com o pai, ele me sai com essa: olha ali um vermelhinho hahahahahaha

    Por Blogger Carolina, às 14 de julho de 2009 11:41  

  • Agora da pra entender o pq de as ruivas serem tao brabas.. aaaahhhh!!

    Por Blogger Diego, às 14 de julho de 2009 19:32  

  • Uhuuu...Carólis. Mas nunca vi uma pessoa tão constrangida quanto você nos bastidores do show da Ultramen. "Por favor quero um buraco pra me esconder!!" Mas lembre se que muitas mulheres pintam suas madeixas de vermelho pra se parecer com você!

    Por Blogger DanielaZancan, às 14 de julho de 2009 19:40  

  • Minha ruivinha linda, Carolis amadis, nunca pintes teu cabelo, pois tem mt gente querendo ter esta cor linda!!
    Tem outra coisa: escreves bem sim, sabes te expressar bem, não ligue pro teu mano....
    E por fim: eu amaria ter um(a) netinho(a) ruivinho(a), desde q não seja produção independente... hehehehe.... não basta ser pai, tem de participar kkkkkkk

    Por Blogger Nara Miriam, às 17 de julho de 2009 14:09  

  • Li tudo, cada virgula, também li todos os comentários. Eu ri, eu ri muito. Tava procurando por ruivos e suas histórias na internet, quando achei esse blog, gostei do texto da Cartolina, digo Carolina Cenourinha* (risos). E gostaria de deixar meu comment. Eu tenho duas filhas ruivinhas, Ana Julia Moranguinho e Thayana Cenourinha, são as coisas mais lindas do mundo. Nem eu nem o pai são somos ruivos. Mas eu sei exatamente sobre tudo o que a Carolina comentou, sobre todos os inconvenios que é ser ruiva, porque sinto na pele isso ja que convivo com minhas laranjinhas* é exatamente assim como ela descreveu no texto. Nossa, olha alí um ruivinho! Olha o seu cabelo, é natural?(Claro que é natural! Imagina um bebezinho tendo os cabelos tingidos).
    Ufa! Ok, terminei.
    Eurimuito.com

    Por Blogger ιєԺα мαяια, às 10 de outubro de 2009 08:13  

  • óraa cenourinhaa...
    nao se sinta tao reprimida...
    vc é unica...
    e rara!
    sinta orgulhosa por isso...
    dessa geração da família vc é a única ruiva..
    ou nao né...a larissa pode ficar ruiva já que é tao parecida contigo
    E ai zizo que me diz? hehehe

    Por Blogger KaKá, às 31 de agosto de 2011 19:20  

  • Adorei o texto; parabéns Carolinda, escreves muito bem, aliás, eu já desconfiava disto. Não conhecia o texto, creio que quando foi escrito eu ainda não acessava o blog do Dudu; embora eu não seja ruiva, tive alguns inconvenientes parecidos com os teus pelo fato dos meus cabelos serem crespos...por este fato também já passaste, né? andemos de braços dados, querida afilhada. bjs no coração.

    Por Blogger Athena, às 2 de setembro de 2011 13:54  

  • Ora Carolina, ser ruiva não é tão ruim como ser pobre, feio e tímido, como este teu primo aqui! Imagina as dificuldades que eu tinha com o sexo oposto....hehehehehe. Lembre-se que muitas das estrelas de holiwood eram ruivas, por todos consideradas lindas! E tua mamis também é ruiva, já serve de consolo. Ah! Tu escreve bem!

    Por Blogger Marcos, às 3 de setembro de 2011 04:32  

Postar um comentário

<< Home