.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

O sonho (e causos) do eletricista

“Sonhei com Jesus Cristo essa noite e acordei cantando. Acho que foi de tanto ver o Michel Jackson na televisão”. A frase foi dita pelo eletricista que consertou o chuveiro aqui do meu apartamento. Bom, na verdade não chega a ser um eletricista. E indo um pouco mais a fundo, esse foi o re-conserto do chuveiro, já que no sábado ele teoricamente tinha arrumado o dito cujo, mas no domingo a porra toda estourou de novo, e na segunda tive que sair procura-lo para reconsertar o conserto inicial.
Enfim, me senti na obrigação de escrever sobre ele, porque o cara realmente é uma figura. Deve ter uns 60 anos. Depois que estourou o chuveiro, no sábado, fui almoçar ali na esquina e perguntei para a dona do estabelecimento se ela conhecia algum eletricista pelas redondezas. O seu Valdemir (esse o nome fictício dele), que estava tomando um vinhozinho atrás do balcão, se acusou e acabou indo lá resolver a parada. O problema é que, pelo que parecia, o sujeito tinha bebido um pouco além da conta. Ele pegava aquele chuveiro, girava, abria, mexia, virava de lado, de ponta cabeça, olhava, remexia, batia no pobre coitado, o diabo. Até que compramos uma peça nova, e depois de umas três horas, o chuveiro funcionou. Em meio a tudo, ele contou que não ia mais a estádios de futebol desde 91. “Não vou mais. Eu sempre ia e tal e coisa, só que tinha um problema: naquela época eu lidava com droga. Mas eu deixei da bebida e das drogas em 2000”, contava ele, com a língua um tanto enrolada do vinho que tomara no almoço. E seguiu: “mas o problema era um pouco maior. Além de usar, eu ainda vendia droga. Vendia mais para a gurizada, todos meus amigos, tudo parceria. Mas foi então que aconteceu, naquele 1991: vendi um bagulho para um rapaz, que estava com um amigo. Eu vi os dois crescerem juntos aqui na vizinhança. Mas quando vi, começaram a brigar por causa do barulho, ‘me dá aqui, me da aqui’, e pá, e um matou o outro. Aquilo me deu uma depressão... Quantas famílias eu não destruí vendendo droga?”, me perguntava, enquanto girava o chuveiro de um lado para o outro. “Depois disso eu só pensava em me matar, mas conheci uma psicóloga que me tirou dessa vida, começou a me dar roupas para vender, e comecei a fazer estampas para camisas, e agora estou bem”, dizia, tentando encaixar a tampa do chuveiro. Mas no final das contas, em meio a outras histórias sinistras, acabou dando certo. Ou quase certo. Fui tomar banho mais tarde, e em pouco tempo senti um cheiro de queimado. Depois foi a minha irmã, e aconteceu a mesma coisa. Acabei deixando o cheiro de lado, e no domingo, quando fui tomar banho novamente, um novo estouro. Mas vi que não tinha sido no chuveiro. Passou o domingo, e na segunda, eu com um cheiro super-agradável, saí atrás do sujeito. Ele voltou, tão maluco quanto no sábado, no entanto, vi que esse era o seu estado natural de ser. No meio do conserto, acabou falando essa: “Sonhei com Jesus Cristo essa noite e acordei cantando. Acho que foi de tanto ver o Michel Jackson na televisão”. E completou: “sonhar com Jesus é uma coisa boa... Eu acho, pelo menos... Mas desliga lá a chave da luz que eu não quero ver Jesus tão cedo”. E menos de 24 horas depois do novo conserto, o chuveiro ainda não estourou.

5 Comentários:

  • Carol estava aqui em casa quando tia Nara ligou dizendo: o chuveiro estragou, Dudu mandou arrumar, R$ 40,00 tudo. Carol dava gritos de tão barba e ao mesmo tempo questionava: como pode estragar?? Paguei R$ 90,00 aquele chuveiro. Eu dizia: isso
    acontece, se acalma. Depois disso, ela foi pra casa e nos falamos no domingo, Carol continuava braba pq teria que ir atrás de um eletrecista e caso o problema não fosse solucionado, ela estava autorizada a vim tomar banho aqui em casa. Pq chuveiro queima sempre no inverno???

    Por Blogger Jaqueline, às 29 de junho de 2009 21:37  

  • Oi Eduardo!
    O chuveiro continua funcionando?
    A simplicidade que o cara viu como estava destruindo famílias... Se ele soubesse que nem sempre é tão diretamente assim, não é mesmo?
    O pai da minha paciente foi morto, porque o traficante não encontrou o filho devedor em casa pra apagar, apagou o velho. A mulher dele se suicidou depois. Minha paciente está internada, depressão com risco de suicídio... E nenhum dos demais, além do filho usuário, conheciam como se usava crack.

    Vidinha né?!

    Por Blogger July, às 30 de junho de 2009 16:37  

  • Dizem que a primeira coisa que o Michael Jackson disse quando chegou no céu foi: cade o menino Jesus?

    Por Blogger Zaratustra, às 30 de junho de 2009 17:36  

  • E como vc tá fazendo para tomar banho nesse frio Edu?rs...
    Bjoss!!

    Por Blogger juliana, às 30 de junho de 2009 19:01  

  • E aí, rapaz! Beleza?

    Te encontrei lá no blog do Arion e dei um pulo aqui pra conferir. Ri muito com a história do suposto eletricista... É o tipo de coisa que acontece comigo. Sabe como é, imã de maluco, né? Rsrsrsrs! De qualquer jeito, fica aqui registrado a minha grata supresa, afinal, se encontra tanta porcaria Blogosfera afora que, quando se esbarra em algo tão bem escrito, a gente ganha o dia!

    Parabéns!

    Se puder me dar a honra:

    www.marcelo-antunes.blogspot.com

    Abração e sucesso!

    Por Blogger Marcelo A., às 2 de julho de 2009 13:26  

Postar um comentário

<< Home