.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

About Soccer

Lembro que na Copa de 1994 se falou muito da relação entre os Estados Unidos e o futebol, chamado por aqui de “soccer”. A abordagem naquele ano era no sentido de que, para os americanos, o futebol era algo como para nós, brasileiros, é o baseball ou o futebol americano. E essa foi a imagem que sempre recebi da imprensa brasileira ao longo dos anos: americanos gostam de baseball, futebol americano, basquete e rockey e, por outro lado, detestam futebol. Porém, assim quando cheguei aos Estados Unidos e fui jogar bola no Central Park, vi que a falta de interesse dos americanos pelo futebol não era tão verdadeira quanto os figurões da televisão, como Galvão & Cia, sempre tentaram fazer parecer. Num dos jogos, dentre os 20 caras que estavam jogando, pelo menos a metade era americano.
A maior surpresa de todas, no entanto, aconteceu nessa semana, quando fui a um bar assistir à estreia da seleção americana na Copa. Cheguei aproximadamente 20 minutos antes do jogo e, para a minha surpresa, o bar já estava completamente lotado. Catei um um canto para sentar, e então, cada americano que descobria a minha nacionalidade, surpreendia-se: “que diabo você está fazendo aqui, se a Copa é no seu país?”. A maioria deles gostariam de estar no Brasil, vendo a Copa ao vivo. Muitos já prometem presença nas Olímpiadas de 2016. O mais espantoso foi o comportamento da torcida americana: cantos de guerra, gritos de USA, discussões sobre os convocados e muitos torcedores com a camisa da seleção americana. E, claro, houve explosões de comemorações nos dois gols americanos (um marcado no início e outro no final do jogo). Sinceramente, eles pareciam com qualquer torcida fanática do Brasil pulando e gritando e se abraçando na hora dos gols. E a festa depois do jogo era digna de título.
Ponto. Não quero passar aqui outra imagem errada: de que os americanos estão torcendo e curtindo futebol da mesma maneira que o resto do mundo. Não chega a tanto, mas todos eles concordam que o esporte está crescendo a cada ano no país. No entanto, há o outro lado: na rua que conta com uns 10 bares, apenas três ou quatro estavam passando o jogo da seleção americana (enquanto que no Brasil, 100% passam jogo da Seleção na Copa). E, claro, ouvi de brasileiros histórias do tipo: “meu professor não sabia que os Estados Unidos estavam na Copa. Aliás, ele nem sabia o que era a Copa do Mundo”. Ou seja, há de tudo. Mas há muitos americanos que se dizem fanáticos por futebol. Isso quer dizer, no mínimo, de que a imagem que sempre tentam nos passar de que o futebol está para os Estados Unidos tanto quanto o baseball está para o Brasil é a mais pura besteira e lorota.
Bom, depois do empate contra o México, talvez esteja chegando a hora de começarmos a praticar um pouco baseball e futebol americano... Let’s go, Brazil!

*Texto enviado ao J Missões e que será publicado se Deus, o editor e o dono do jornal quiserem...

2 Comentários:

  • fuck german...a verdade é que nos outros países o pessoal em geral acompanha diversos esportes, tendo obviamente, seus esportes preferidos. O problema é que aqui somos moldados a só prestar atenção só no que ganha algo: no futebol e um pouco no volei. Quando o guga ganhava no tenis todo mundo acompanhava, depois sumiu... é a cabeça minúscula do brasileiro

    Por Blogger Zaratustra, às 22 de junho de 2014 13:29  

  • Zaratrusta falou e disse! Fuck german!

    Por Blogger Marcos, às 23 de junho de 2014 03:14  

Postar um comentário

<< Home