.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Livros, livros, livros...

Cada vez que minha reserva de livros está acabando, eu já começo a me programar para providenciar mais. Terminei de ler a Arte de Escrever, do Shop, e comecei a ler um do Edgar Allan Poe. Pelo primeiro conto, achei muito bom. É um texto de 10 páginas que, de início, você pensa que é um ensaio sobre perversidade escrito pelo próprio autor, mas, na medida em que você lê, você percebe que o autor fictício cometeu um assassinado e, numa crise de loucura, comparada pelo autor como a pessoa que está na beira de um precipício pensando se vai se atirar ou não, o inconsciente do personagem quer confessar o crime, que foi praticado com perfeição, sem deixar provas nem testemunhas, enquanto o consciente tenta tirar esse pensamento absurdo de sua mente. Numa crise de loucura, o autor/personagem sai correndo para ninguém ouvir a confissão, mas populares o alcançam e, ao ser agarrado por um sujeito qualquer, ele confessa tudo e termina preso. A linguagem de Poe é perfeita, não sobram nem faltam palavras na sua narração, que ainda é envolta de mistério e surpresa. É uma leitura que te prende, que te faz entrar no livro, que te pega pelo rabo, como diria o Picaso. Enfim, li até agora só esse conto e não vejo a hora de ler os outros.
Mas voltando à questão dos livros, como esse era o último original dos que eu tenho que faltava ler (além dos quatro ou cinco xerocados que estão lá me esperando) peguei mais alguns para deixar na reserva, todos escolhidos a dedo. O primeiro é Crime e Castito do velho e bom Dost. Gostei de O Jogador, por isso não pensei duas vezes antes de adquiri-lo. O segundo é Delta de Vênus, de Anaïs Nin. Li o resuminho na contracapa e achei mó barato. São contos eróticos escritos na década de 1940. O terceiro é o Ora Bolas, escrito por um jornalista sobre o Mario Quintana. Por fim, escolhi o Contos de Fantasmas do Daniel Defoe. Faz horas que queria ler alguma coisa do Defoe, de tanto que ouvi falar dele, e esse dos fantasminhas era o único que tinha, então....
Enfim, mesmo com essa pequena reserva, também estou louco para ler Reino e Poder, do Gay Talese, que conta a história do New York Times, e que está xerocado e engavetado lá em casa. E já estou pensando nos próximos: Medo e Delírio em Las Vegas, do Hunter Thompson, História Regional da Infâmia, do Juremir Machado da Silva, e as dicas do meu primo Alemão: Elogio do Ócio, do Bertrand Russel, e Ocio Criativo, do Domenico de Masi. Ah, mas além disso, também vou ter que ler muita coisa sobre as disciplinas que estão logo ai, me esperando... Também quero saber logo quais são para devorar mais livros e revistas sobre os assuntos específicos e...

4 Comentários:

  • Grande Dudu, parabéns; Crime e Castigo e O Jogador do Dostoiévski já li, são ótimos; o do "crime", além de ser um ótimo romance, foi tb sugerido por um dos meus professores do curso de direito; tua lista tá ótima; vai em frente....grande abraço

    Por Blogger Athena, às 9 de junho de 2011 14:20  

  • Porra alemao, o Allan Poe é um dos meus preferidos. tenta achar na net o poema O corvo.

    o cara é ford...

    Por Blogger Zaratustra, às 9 de junho de 2011 15:14  

  • Também li Defoe, "Robinson Crusoe" foi meu livro da adolescência, Poe também já li só não lembro o título, acho ele meio sombrio (brrrr!). Delta de Vênus da Anais Nin tenho em casa, comprei na rodoviária de POA, numa destas idas pra lá.

    Por Blogger Marcos, às 10 de junho de 2011 05:59  

  • quem te viu quem te vÊ

    Por Blogger Carolina, às 13 de junho de 2011 13:23  

Postar um comentário

<< Home