.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

O ataque do ovo assassino em New York City

O ovo assassino atacou. Fazia tempo que isso não acontecia. E, de todas as vezes em que ele atacou, essa foi uma das piores. Pois é. Já estou pensando em seguir a sugestão do meu primo Alemão Gérson e criar um novo estilo jornalístico: o Egg Journalism. Só textos sobre a minha alergia a ovo...
Como comentei outra vez, no Brasil as pessoas já estranhavam e pareciam não entender, mesmo eu falando claramente em português, que eu sou alérgico a ovo. "A ovo?? Nunca vi isso...". E, aqui, a saga continua. Tenho que repetir mil vezes que "I'm alergic to eggs! E-gg-sssss". Mas o ovo é um ser muito esperto. Ele sabe que eu sei me defender. Ele sabe que eu pergunto para todo mundo se vai ovo em todos os tipos de comida e que eu enfatizo exageradamente que sou alérgico a ele. E ele, o filho da puta, com seu instinto assassino, foi buscar outras artimanhas para tentar acabar com a minha vida...
Eis que, justo numa segunda-feira, início de semana, resolvo comer algo diferente num restaurante na 33 Street, perto de Madison Square. Era prato-feito, mas o cardápio era convidativo para um ser alérgico a ovo como eu: arroz, lentilha e um bife de carne moída. Geralmente, meu almoço tem sido um revezamento entre Burger-King (sem maionese), um biffet barato que achei por aqui (que tem de tudo, menos feijão preto) e pizza (sem ovo, óbvio). Então, vi aquela lentilha, e pensei: por que não variar um pouco? O carinha que fica servindo encheu meu prato. Como estava louco de fome (era saída da aula, a uma da tarde), comi tudo rapidamente. Na metade, entre um gole de Coca e outro, senti um amargor na boca, típico de quando como algo com ovo, mas estava com tanta fome que pensei que era bobagem, e terminei de comer o resto. O troço simplesmente não desceu. Fui caminhando pela 33 vagarosamente, para ver se o troço baixava. O sintoma era o mesmo de quando como algo com ovo: amargor da boca, a saliva não desce, o estômago dói, etc, etc. "Vou esperar um pouco para não vomitar no metrô", pensei. Dei uma volta, olhei umas vitrines, mas não tinha jeito. Comecei a ficar pior. Melhor ir para casa, concluí. Enquanto esperava o metrô olhava para a cesta do lixo, na dúvida se vomitava agora ou em casa. "Vou segurar, de repente o troço desce e sai por baixo...", calculei. Mas a comida parecia uma montanha-russa, ficava subindo do estômago pra garganta a toda a hora. Então, numa dessas coisas inacreditáveis que só acontecem quando a gente está completamente fudido, o improvável apareceu na minha frente. Eu estava prestes a vomitar e um policial parou no lado da lata de lixo. Filho da puta. Com tanto lugar pra parar, e vai ficar justo aí, caralho! Passou-se um minuto e, acreditem, quando o policial saiu e eu me reparava para fazer o "blaaaauhhghhhh" chegou um lixeiro! Nunca tinha visto um em New York! O cara de uniforme e luva trocou o saco do lixo sujo por um limpo... Inacreditável.. Enquanto isso, chegou o metrô. Entrei. Era na 33 Street. A primeira parada é na 42. E nesse meio tempo, o ovo assassino atacou violentamente. O metrô, pra piorar, estava lotado. Quando parou na 42 Street (Grand Central) foram segundos que pareceram horas - fiquei tonto, as pernas fraquejaram, estava louco pra vomitar mas tentava segurar o negócio e olhava para dentro do trem e via um monte de gente e olhava para fora e via mais gente ainda - e, acreditem, dois policias. Achei que ia desmaiar, mas para a minha sorte uma mulher no banco ao meu lado desceu. Não sei se tinha alguém na minha frente, só sei que simplesmente me joguei no banco, sentado. Aí foi tudo junto: vontade de vomitar, falta de ar, perna bamba... Baixei a cabeça, fechei os olhos e respirei fundo... foi passando o mal estar. Infectado pela porra do ovo assassino, cheguei em casa, fui no banheiro, e coloquei os bofes pra fora. Resumindo, passei o dia cagando e vomitando e dormindo. Dormia e acordava com a barriga querendo me matar de dor. Ia lá e descarregava tudo no vaso. Pra completar, algum resquício do ovo devia estar no meu estômago, pois da cagada eu ia para a vomitada... Filho da puta. Depois, fui descobrir que os caras colocam ovo no bife de carne moída para dar "consistência". O caralho! Ovo filho da puta, se disfarçou para tentar me matar.
Provavelmente esse foi um dos piores ataques porque geralmente eu como um pouco e paro, porque percebo a emboscada. Mas dessa vez não. Dessa vez o filho da puta me enganou... Me atacou disfarçado de bife em New York City. Filho da puta. E, não satisfeito, hoje ele tentou me atacar de novo. Pedi um Burger King sem maionese, como todo o dia. Pois acontece que na caixinha tem o desenho dos ingredientes, e eles fazem um X no que não é para por. Estranhei que onde dizia "Mayo" não estava marcado o X. Abri o hamburger e lá estava o filho da puta, disfarçado de maionese, querendo me pegar. Fui lá pedir pra trocar, e o pessoal da cozinha começou a discutir com um sotaque do Harlem para decidir quem tinha errado... (sim, eles erraram, porque na minha nota dizia "no mayo". Depois de um pequeno bate-boca entre eles, apareceu meu hamburger sem a maionese. Mesmo assim, vasculhei bem antes de comer. Esse filho da puta tá na minha cola... Filho da puta...

3 Comentários:

  • Pois é, não como tens alergia ao ovo... viste, eu teria pedido auxílio ao policial. Me identificaria e tentaria uma ajuda. De repente, segurar foi bem pior! Te cuida, guri!

    Por Blogger Nara Miriam, às 30 de outubro de 2013 05:52  

  • foda alemao, o jeito é tomar umas geladas pra desintoxicar

    Por Blogger Zaratustra, às 30 de outubro de 2013 12:51  

  • Dá um seriado: O ovo assassino! Comigo acontece o mesmo com, camarão e outros frutos do mar! Mas a minha reação é o inchaço na garganta, boca, orelhas, olhos...
    Uma reação alérgica severa pode resultar em anafilaxia—uma condição onde fechar as vias respiratórias e o paciente pára de respirar. Anafilaxia pode acontecer repentinamente e requer atenção médica imediata. CPR não funcionará porque o tecido na boca, garganta e pulmões realmente incha, impedindo que o ar entrar. Epinefrina irá inverter o inchaço, e as pessoas que experimentaram a anafilaxia devem levar uma caneta de epinefrina para situações de emergência.

    Por Blogger Marcos, às 1 de novembro de 2013 14:38  

Postar um comentário

<< Home