.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Aí não, violão!

Já me queixei várias vezes no Facebook dos fura-filas da fila do pão do cacetinho da padaria. Estou eu lá, parado, com cara de mosca-morta, esperando o pão, quando de repente alguém se enfia na minha frente para ser atendido primeiro. Conto até mil para não dar um soco na cara do sujeito, mas penso: quero ver esse filho da puta furar a fila quando estiver no inferno! Mas agora a pouco aconteceu o maior de todos os absurdos em termos de filas de padarias ou supermercados. Explico-me.
Estava eu, no Supermercado Paraíso, em Pelotas, colocando a meia dúzia de coisas que eu iria comprar em cima do balcão. Enquanto a caixa recebia o pagamento do casal que estava na minha frente, uma mulher, de aproximadamente 45 anos (a típica brasileira maluca sem-noção), matraqueando no celular sem parar (como a maioria das brasileiras – ok, não são só as brasileiras... como a maioria das mulheres em geral), enfim, entre uma matraqueada e outra ela simplesmente começou a passar as coisas dela na minha frente! “Que é isso, cara pálida?” – fiquei me perguntando. Realmente alguma criança deve ter tatuado nas minhas costas a frase “por favor, passe na minha frente em qualquer tipo de fila”. Respirei fundo, fiquei olhando, mas pensando comigo mesmo: “aí não, violão. Vou fazer a caixa me atender primeiro nem que eu tenha que bater a cabeça dessas duas, uma na outra”. Minha veia do pescoço começou a palpitar de vontade de estripar a cara de pau da fura fila e tive que me controlar para não pegar a caixa e a enfiada pelo pescoço quando a caixa simplesmente COMEÇOU A PASSAR AS COISAS DA MULHER NA MINHA FRENTE! Porém, como sou um ser super-controlado, respirei fundo, olhei nos olhos da caixa e murmurei:
- Desculpe, mas essas coisas são dela – disse, apontando para a mulher enfiada.
A caixa arregalou os olhos, em tom desafiador, como se perguntasse “e daí?”. Mas não falou nada, ficou com cara de cínica me encarando.
- E eu estou na frente dela – completei com cara de Garfield.
Então, a caixa foi pegando as minhas coisas de trás das coisas da mulher, contra a vontade (como uma típica mulher na TPM) e pior: COMO SE AINDA TIVESSE RAZÃO! PUTAQUEPARIU!!!!! E a mulherzinha pediu desculpas, porque ela achou que eu estivesse esperando alguma coisa (!?!?!?!). Cacete, é óbvio que eu estava esperando alguma coisa: estava esperando ser atendido, caralho!
Cada vez mais me convenço de que o povo brasileiro é o mais mal educado do mundo! Depois que terminarem os protestos contra o governo e os aumentos nas passagens, será a vez de fazer um protesto contra as atitudes sociais sem-noção de todos os brasileiros!

1 Comentários:

  • Pois é, isto é frequente em lojas e supermercados em toda a parte. Eu não fico quieta, alego que cheguei primeiro. E pronto. Mas minha vontade é largar tudo e sair do local botando a boca no trombone...
    Só nunca reaja com violência, né???

    Por Blogger Nara Miriam, às 23 de junho de 2013 06:55  

Postar um comentário

<< Home