.

domingo, 12 de maio de 2013

Devaneios

Ok, leitores imaginários, eu sei que há pouco tempo prometi ser mais freqüente nesse espaço, mas realmente está difícil, pelos mesmos motivos que expliquei da última vez: compromissos com a tese, com os preparativos finais para a bolsa sanduíche, com a patroa e as crianças e, talvez principalmente, com o inglês. Tento usar praticamente todo o “tempo livre” (se é que ele existe) para estudar inglês nas suas quatro habilidades principais (ler, escrever, ouvir e falar). Além disso, ainda surgem os imprevistos.
Desde a última vez em que escrevi, posso dizer que aconteceu uma coisa muito boa e outra muito triste para mim. A triste foi a perda do meu padrinho, José Fontoura, que faleceu em Ijuí, aos 85 anos. A exemplo do que aconteceu alguns meses atrás, quando minha tia Eva também faleceu, o fato de não conseguir viajar até Ijuí torna a perda mais dolorosa. Depois, ficam as lembranças: os jogos de damas em que eu ficava observando as suas jogadas, que eram sempre fatais, e aconteciam entre alguns segundos de silêncio e o característico assobio dos sábios; as conversas sobre o nosso Grêmio; a pontualidade e uma certa severidade carinhosa que ele parecia ter com os filhos e netos (e que eu, como afilhado, escapava), as suas histórias do passado e as perguntas sobre o meu futuro... A saudades sempre é dolorosa, mas por outro lado, penso que chegar aos 85 anos de vida, como ele chegou, é uma vitória a ser admirada e respeitada por todos.
Em meio a essa tristeza, recebi a tão sonhada carta de concessão para realizar o meu estágio doutoral na New York University, a famosa bolsa sanduíche. Foi-me concedido um ano (de agosto de 2013 até julho de 2014). Está praticamente tudo certo – na verdade, tenho esses três meses basicamente para fazer o visto, porque o resto está tudo pronto. Em meio a isso, como disse, dedico-me a estudar inglês, a ler sobre todas as regiões da cidade e a elaborar um cronograma imaginário que sei que quando chegar lá vai ir para o espaço. E, além disso, tenho as outras duas colunas (do Jornal das Missões, de Santo Ângelo, e do Meu Bairro, de Porto Alegre, para atualizar semanalmente – coisa que não fiz nessa semana).
A coisa está me consumindo tanto que às vezes parece que estou sofrendo um bloqueio criativo. Parece que não posso sentar no computador e ficar de bobeira, porque “estou perdendo tempo que poderia estar estudando inglês e que vai fazer falta depois, etc”. Também tento achar eventos na área para o período em que estarei lá, apesar de também saber que qualquer programação prévia corre sério risco de cair no esquecimento com a mesma rapidez com que surgiu – a única coisa mais concreta é um curso que vai ter na Universidade de Columbia em outubro sobre cobertura em áreas de risco. Então, vou parando por aqui, quem sabe baixe algum espírito de algum escritor frustrado do século III e surgem idéias para textos mais criativos nas próximas horas, dias, semanas, meses...
Hasta!

2 Comentários:

  • O teu leitor imaginário nº 1 tá aqui, dolorido pela perda de meu pai e teu padrinho, bloqueado pra escrever no meu blog, primeiro porquê tinha de cuidar dele no hospital e agora porquê a dor da perda me tirou qualquer inspiração.Uma das únicas coisas boas neste momento é saber que realmente vais aos States, terra do velho Buck, pra tirar de lá todo o proveito que tua carreira merece. Torço por ti, apesar do teu defeito imperdoável de ser gremista! Quando estiveres por lá, tome uma cerveja por mim e dê uma olhada naquelas americanas peitudas e sem bunda que pro ali pululam!
    Porra alemão!

    Por Blogger Marcos, às 13 de maio de 2013 06:22  

  • Porra alemao!

    Quando fui pra Italia eu treinava o italiano escrevendo, lendo em voz alta e ouvindo as ràdios de là, principalmente as de noticias, para acostumar o ouvido.

    entraì
    http://www.radios.com.br/cnt/radios_internacionais e ouça enquanto estuda, vale a pena.

    a perda do meu avo, teu padrinho, foi muito triste. Mas todos com certeza aprendemos algo com ele e que estamos levando adiante. No momento tem esta tristeza, mas lembraremos mais pra frente dos momentos felizes e da sabedoria, e isso è o que consola.

    porra alemao! american!

    Por Blogger Zaratustra, às 13 de maio de 2013 20:02  

Postar um comentário

<< Home