.

sábado, 4 de agosto de 2012

Fóia papai

Minha guria está cada vez mais esperta. Sei, você vai pensar que todo o pai diz isso de seu filho/filha, porém, não tenho como não me surpreender e babar a cada dia. E, se todos os pais são felizes ao ver seus filhos crescerem e aprenderem coisas (principalmente artes) novas, que bom!
Gorinha há pouco ela foi para o quarto e ficou lá, quietinha. Então, passaram-se 30 segundos (o que é uma eternidade para ela ficar sozinha no quarto, pois em meio segundo ela põe tudo de pernas pro ar) e, quando entrei lá, pé ante pé, vi que estava atrás da porta mexendo nas pantufas de cachorrinho que ela ganhou. Ao me ver ela disse “no papai”, levantou-se, me pegou firmemente pelo dedo indicador com seus cinco dedinhos, e foi me puxando para o lado de fora do quarto dizendo “fóia papai, fóia papai”. Fiquei olhando para ela com cara de Garfield, mas obedeci e fiquei observando ela fechar a porta do quarto na minha cara. Isso com um ano e 8 meses!
Tudo bem, a super Nany vai achar isso o absurdo dos absurdos, vai dizer “VOCÊ DEVE MOSTRAR PARA ELA QUE QUEM MANDA É VOCÊ! NÃO PODE PERMITIR ELA TE COLOCAR PARA FORA DO SEU PRÓPRIO QUARTO NESSA IDADE!”. Ok, ok, teoricamente até concordo, entretanto, vendo aquela carinha de arteira com os olhos grandes e escuros te olhando e dizendo “fóia papai” fica impossível resistir.
Outro fenômeno, que não lembro se já comentei aqui ou não (se já comentei, não faz diferença, pois meu um leitor e meio é tolerante), enfim, outro fenômeno que observo é quando saio com a minha pequena pelas ruas lotadas do centro de Pelotas. Passam uns caras com cara de mau, com cara de gângster, com cara de velho ou velha rabugenta que não ri há décadas, entretanto, todos, eu disse TODOS, ao verem a minha pequenininha andando abrem um sorrisinho, nem que seja de canto, e suspiram, alegres por ver uma coisinha tão fofinha se movimentado sozinha pelas ruas em meio à multidão.
Tudo bem, nobre leitor, para você não pensar que eu sou um babaovo cego, admito que, vezemquando ela está a 50.000.000.000 km/h e eu acabo cansando e, vezemquando, ela faz uma birra que me tira do sério, mas é a lei da natureza, eu fazia isso com meus pais, meus pais faziam com meus avós, ela faz comigo, e meus netos farão com ela, e assim por diante... Tem vez que ela pede pra ver o Patati. Eu ponho o Patati e ela chora pedindo a Xuxa. Então, coloco a Xuxa e ela chora pedindo o Pocoyó. Eu ponho o Pocoyó e ela pede o Patati de novo. E assim sucessivamente, até que eu piro e desligo a TV e, então, ela chora mais ainda, como fazia sua tia Cartolina em 1900 e antigamente, que eu acho que ouvem até no Paquistão.
Mas a graça está toda aí. Quando eu fico um dia sem ver ela, parece que faz uma semana. E se eu fico sem ver uma semana, parece que faz um mês. A cada dia ela aprende uma coisa nova. E eu aprendo outras mil com ela, every day.
Ah, e pra completar, arranjaram um cachorro. Ou melhor, uma cadela, que se chama Jolie, em homenagem a Angeline. A Lari chama o bicho de “Noni”. Porém, quando deixamos ela pegar a “Noni”, a Lari vira a Felícia, e não dá para deixar muito tempo elas juntas... Enfim, agora eu tenho mulher, filha, enteada, duas periquitas (no bom sentido) e uma cadela. Estou tentando convencer essa mulherada toda a largar de mão a idéia de comprar um hamster... ou seria uma hamster?
Hasta!

2 Comentários:

  • Dudu, tua guria é muito esperta mesmo!!! Adorei!! Com 1 ano e 8 meses ela já sabe que o pai é um baita tratante e por isso te expulsa do quarto! hahahahahahah Que massa! Queria ver a cena!
    E aí, qdo parte pros States??

    Por Blogger Lara, às 4 de agosto de 2012 21:47  

  • A babação por causa de filho é normal, achamos que filho nenhum de ninguém é tão lindo, inteligente, precoce, esperto quanto o da gente!
    Vai fazer que curso nos States? Sigo interessado tua trajetória, onde esse guri vai parar?
    Porra alemão!

    Por Blogger Marcos, às 5 de agosto de 2012 05:59  

Postar um comentário

<< Home