.

sábado, 28 de julho de 2012

O velho e bom patinho feio

A paixão de Otávio por Natália começou quando eles eram colegas na 4ª série. Ambos tinham 10 anos. Otávio não conseguia se concentrar nas aulas, pois ficava apenas admirando os cabelos pretos e lisos de Natália, que se destacavam em contato com a pele branca de neve de seu rosto. Na época, ele trocava confidências com seu amigo Leonardo, que, por sua vez, gostava de Lisiane. Um dia, Leonardo, que era mais ousado, sugeriu que ambos escrevessem uma carta se declarando para suas respectivas amadas. Combinaram o seguinte: Otávio entregaria a carta de Leonardo para Lisiane, enquanto Leonardo entregaria a carta de Otávio para Natália. Otávio levou três dias para escrever a sua carta. Fez a melhor letra, corrigiu os erros de português no Google e ficou cinco horas desenhando vários corações que ilustravam o seu sentimento. Quando Leonardo foi entregar a carta para Natália, ele ficou escondido atrás da escada da porta de entrada do colégio, espiando, bem quietinho.
Viu Leonardo se aproximando e entregando em mãos o seu envelope amarelo claro para Natália. Parecia que o coração estava dentro de seus testículos e que eles iriam explodir a qualquer momento. Com os olhos arregalados, viu Natália terminar de ler, fazer uma cara de fúria, e rasgar a carta em 1001 pedaços.
A primeira experiência traumática não foi suficiente para acalmar a paixão de Otávio. Após trocar de colégio, eles se reencontraram em uma festa de 15 anos quando estavam entrando no Ensino Médio. Otávio tremeu quando a viu, mas pensou, “bom, faz tanto tempo, de repente ela acha graça do que aconteceu”. Entretanto, quando ele se aproximou e disse “oi”, ela simplesmente fez a pior das caras de nojo, virou o nariz e o deixou ali, paralisado e de coração partido. Para esquecer, ele tomou seu primeiro porre: 18 garrafas de cerveja em uma noite.
O tempo passou e Otávio chegou à casa dos 20. Vezemquando, antes de dormir, ele pensava em Natália. Como estaria? Será que ela realmente o odiava? Vai ver aquele último episódio ocorreu só porque estavam na adolescência. Sabe como é, guria, na adolescência, é pior do que os rebeldes da Síria. Ainda mais quando está na TPM. A essa altura da vida ele já sabia alguma coisa sobre as mulheres. Sabia que TODAS passam por uma fase em que ficam irracionais lá pelos seus 15 anos e, depois, essa irracionalidade passa a ser mensal, antes de ficarem menstruadas... Então, ele apelou para as redes sociais na internet e achou Natália. Viu o perfil: solteira. Beleza! Aê garoto, tá pra ti, heim?! Inicialmente, pensou em simplesmente lhe adicionar. Mas e se ela não se lembrasse de seu rosto e de seu nome? Então, deixou um recado, relembrando brevemente os últimos episódios em que se encontraram. Passou um dia, dois, três, e nada do convite ser aceito. Então, ele deixou outro recado. Olhava todos os dias a página dela e via que ela interagia com outras pessoas. Ficou frustrado e pensou em desistir, pois se ela quisesse teria lhe aceito, teria lhe dado uma resposta, um sinal, uma luz! Aliás, o mundo dava voltas, e ele, como o Roberto Carlos, era o patinho feio se transformando em cisne com mil garotas querendo sair com ele. Noutro dia, enquanto espionava a página da Natália, recebeu um telefonema da Michele, a garota mais gostosa da faculdade, convidando-lhe para um chope. Mesmo com a cabeça em Natália, acabou indo. Saiu com Michele, beijo-a, levou-a para dormir em seu apartamento, fizeram sexo caliente a noite inteira, mas ele não se sentia satisfeito. Ele queria o amor de sua vida: Natália.
Cinco anos depois, quando já estava formado, ele foi num baile de formatura e viu aquela garota loira, linda, perfeita, de vestido decotado, olhos de felina e bunda de tanajura. Quando foi tirá-la para dançar, já dono de si mesmo, como um autêntico garanhão de 20 e tantos anos, levou um susto: era Natália. Tinha pintado os cabelos. Engoliu seco. Naquele momento, ele voltou no tempo e se sentiu como o garoto da 4ª série que não tinha idéia do que era o contato com a criatura do outro sexo. Foi rumo ao desconhecido. Entretanto, a resposta foi bem conhecida: ao ver ele se aproximar, Natália fechou o rosto, virou as costas, e saiu rebolando aquele rabo maravilhoso...
Os anos se passaram, e Otávio sempre espionando cada passo que Natália dava nas redes sociais. Sabia onde morava, onde trabalhava, e acompanhou todo o namoro, noivado e casamento com o Dr. Feliciano. Na verdade, quase não acreditou quando viu que ela estava namorando alguém chamado Feliciano. Mas, enfim, essas coisas, que muitas vezes parece que só acontecem na ficção, também dão as caras no mundo real. Com o casamento e os filhos de Natália rolando (um casal, o Pedro e a Joana), Otávio seguiu sua vida. Teve várias namoradas, comeu as gostosas da sua turma da faculdade, as colegas de trabalho, as vizinhas, e, como Martinho da Vila, também comeu mulheres casadas carentes, solteiras feliz, donzelas e meretrizes, novinhas e velhinhas.
Quando estava na casa dos 35, ele viu que Natália sumiu das redes sociais. Viu também que ninguém a procurava ou deixava recado. Então, numa noite, em uma de suas festas, ele não acreditou quando viu aquela morena estonteante, bronzeada, bem diferente da colega de infância que tinha a pele branca como papel, dançando numa rodinha com outras três mulheres perto do bar. Ele a reconheceu no mesmo instante, mas agora, como um lobo velho, não iria mais desperdiçar energias em uma caça que sabia estar perdida. Então, ele ficou em seu próprio grupo, conversando com seus amigos, enquanto uma dúzia de pares de olhos femininos o cobiçava.
Já era por volta de três horas da madrugada quando ele foi ao balcão para pegar mais um chope e foi surpreendido. Ficou sem fala ao virar o rosto e ver Natália ao seu lado, sorrindo:
- Oi.
- O-oi.
Os dois conversaram a noite inteira. Riram juntos de todas as investidas de Otávio. Natália então lhe contou tudo o que aconteceu: os namoros, o casamento, os filhos, o divórcio, as paixões e as desilusões que teve na vida... “Eu nunca pensei que um dia eu conversaria com vocês”, ela disse, rindo, confessando que realmente o odiava com todas as suas forças... “Eu te entendo. Fui muito amador, te perseguindo... é óbvio que você se assustaria...”, admitia Otávio. Os dois conversaram muito e, no fim da noite, se beijaram. Não rolou sexo, pois ela estava recebendo umas amigas do Rio. Marcaram de se encontrar no outro final de semana, já que ele passaria a semana fora da cidade.
No sábado seguinte, encontraram-se no apartamento dela, sabendo que tudo iria terminar na cama. Ele chegou a pensar em todos os anos de espera, tentou relembrar tudo o que sentiu, mas sabia que tinha um “quê” de vingança naquela situação. Já ela não acreditava que tinha esperado tanto tempo para conhecer esse cara maravilhoso. Ria de sua própria infantilidade nas outras situações, mas achava que era o destino. Acreditava que, se tudo aconteceu assim, era porque o cupido e Deus nosso Senhor queria que assim fosse. E então, foram para a cama. Os dois queriam que tudo fosse devagar, para aproveitar ao máximo. Se beijaram e se acariciaram muito, antes de qualquer outra coisa mais ousada. Então, ela finalmente chegou lá, e fez o melhor sexo oral que estava ao seu alcance. Ela, que não gostava muito de sentir o membro duro e melecado em sua boca, naquela noite não queria largar. A cada posição, ela deu o máximo de si.
Fez coisas que nunca tinha feito nem com o ex-marido. No total, foram oito horas de sexo. Ele gozou quatro vezes. Ela, perdeu as contas. Estava completamente sem fôlego, quando ele se virou para o lado para dormir. No outro dia, levantou antes dele, para preparar um lanche light e romântico. Ele acordou e deu de cara com ela na cozinha:
- Você ainda está aqui?
- Claro – disse ela, rindo – estou no meu apartamento.
- Ah, sim, como não. Bom, então vou indo...
- Não, fique. Estou terminando um lanche para nós...
- Lanche? Não, obrigado... – disse ele, recolhendo as roupas.
Ela veio e o abraçou. Ele se esquivou.
- O quê houve? Esperamos tanto tempo por isso...
- Pois é. Esperava mais. MUITO mais...
- Mas podemos fazer mais... MUITO mais...
- Não falo de quantidade. Falo de qualidade...
Ele disse isso e foi embora. Então, desde então, Natália passa a vigiar o perfil de Otávio em todas as redes sociais e, sempre que ele a vê se aproximando, dá um jeito de dar no pé...
FIM

1 Comentários:

Postar um comentário

<< Home